Mulher acusada de matar jovem não estava grávida, aponta laudo

O laudo foi divulgado pelo Instituto Médico Legal.

O Instituto Médico Legal divulgou um laudo que confirmou que a mulher acusada de esfaquear e matar uma adolescente grávida de oito meses não estava gestante no momento do crime, como já tinha afirmado a Polícia Civil.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Maurício José Nucci, Mirian Aparecida Siqueira, de 25 anos, assumiu em depoimento que mentiu para familiares e que tinha sofrido um aborto dentro do banheiro de sua casa.

Nucci afirmou que, após as novas informações, o exame de DNA do feto, pedido pela polícia, é desnecessário para incriminar Mirian por homicídio qualificado e aborto sem o consentimento da mãe. Ela permanece detida e terá a prisão convertida em preventiva, ou seja, até o julgamento.

“O crime já está esclarecido. Já está claro que ela premeditou o crime para ficar com o bebê. Ela não entrou em contradição em nenhum momento no depoimento. Ela confessou que cometeu o crime sozinha”, afirmou o delegado.

Valíssia Fernandes de Jesus, de 15 anos, foi morta dentro da casa de Mirian, na tarde de 13 de outubro, após ser levada ao local pela suspeita, dizendo que lhe daria um sapatinho de bebê. O corpo da vítima foi encontrado pelo marido de Mirian, dentro de um tambor no quintal.

Image title

Image title

Fonte: Com informações do G1