Mulher apedrejada na Somália era menina estuprada

A menina foi acusada de violar leis islâmicas e detida pela milícia al-Shabab

Uma menina de 13 anos foi apedrejada at? a morte por adult?rio na Som?lia depois que seu pai disse que ela foi estuprada por tr?s homens.

Segundo a organiza??o de defesa dos direitos humanos, Anistia Internacional, Aisha Ibrahim Duhulow foi morta no dia 27 de outubro por um grupo de 50 homens em um est?dio na cidade portu?ria de Kismayo, no sul do pa?s, diante de mil espectadores.

A menina foi acusada de violar leis isl?micas e detida pela mil?cia al-Shabab, que controla a cidade.

"Dentro do est?dio, membros da mil?cia abriram fogo quando algumas das testemunhas tentaram salvar a vida de Duhulow, e mataram a tiros um menino que estava observando tudo", disse nota no website da Anistia Internacional.

Segundo a organiza??o, h? not?cia de que depois um porta-voz da al-Shabab pediu desculpas pela morte da crian?a, e disse que um miliciano seria punido.

Jornalistas somalianos haviam noticiado que Duhulow tinha 23 anos de idade, julgando pela sua apar?ncia f?sica. A verdadeira idade dela s? veio ? tona quando seu pai disse se tratar de uma crian?a.

Buraco

Duhulow lutou contra quem a detinha, e foi levada ? for?a para dentro do est?dio.

A Anistia Internacional disse que foi informada por v?rias testemunhas que, em dado momento durante o apedrejamento, enfermeiras receberam instru?es para verificar se Aisha Ibrahim Duhulow ainda estava viva.

Ao constatarem que sim, a menina foi recolocada em um buraco no ch?o onde tinha sido coberta de pedras, para que o apedrejamento continuasse at? sua morte.

Segundo a Anistia, nenhum dos homens que estupraram a menina foi preso.

A Anistia Internacional vem realizando uma campanha para p?r fim ? pr?tica de puni??o por apedrejamento. "A morte de Aisha Ibrahim Duhulow demonstra a crueldade e a discrimina??o inerente contra mulheres nesta puni??o", disse nota no website da organiza??o.

Fonte: Terra, www.terra.com.br