Mulher é agredida por estar andando com amigos gays em SP

Suspeito disse que ela era "uma vagabunda amiga de viado"

Uma professora foi agredida na cabeça por um desconhecido na madrugada de domingo (24), em São Paulo. Bruna Torres, de 20 anos, afirma que a agressão começou por ela estar andando com seus amigos gays.

De acordo com o relato que a jovem publicou nas redes sociais, ela estava voltando de uma balada com os amigos. Quando desceram na avenida, um homem em um carro preto parou do lado deles. O homem perguntou para ela se os gays eram amigos dela e ela respondeu que sim.

Logo em seguida, o homem perguntou se ela era “uma vagabunda amiga de viado” e ela respondeu que era amiga deles e pediu para que o homem parasse de “mexer com eles”. Em seguida, a jovem afirma que ele falou: “Já que você é amiga de viado, eu vou te mostrar o que é bom”.

Mulher é agredida por estar andando com amigos gays em SP (Crédito: Reprodução)
Mulher é agredida por estar andando com amigos gays em SP (Crédito: Reprodução)


A jovem diz que, quando isso aconteceu, os amigos dela gritaram e pediram para ela correr. Foi aí que o grupo começou a fugir do homem. Então, o suspeito deu ré no carro para alcançar os amigos. Ele abriu o porta-malas e pegou um pedaço de madeira.

O suspeito alcançou a professora e acertou o lado direito da sua cabeça.Depois da agressão, a mulher foi levada pelos amigos até o Hospital das Clínicas. Lá, a jovem desmaiou por conta da dor e levou cinco pontos na cabeça.

O caso foi registrado no 15º Distrito Policial do Itaim Bibi e está sendo investigado. Até o momento, o agressor não foi identificado.

Fonte: Com informações do R7