Moradora de rua carbonizada é identificada pela polícia

Moradora de rua carbonizada é identificada pela polícia

Segundo a polícia, o local estava servindo de esconderijo para assaltantes e usuários de droga da zona leste de Teresina.

Celina Sales, que vivia nas ruas de Teresina, nas proximidades da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, foi encontrada morta neste domingo, 23. O episódio ainda é um mistério para a Polícia Civil. O seu corpo foi encontrado carbonizado em um prédio da Rua Tabelião José Basílio, no bairro Nossa Senhora de Fátima.

O local onde foi encontrado o corpo estava abandonado há bastante tempo, segundo a polícia, servindo de esconderijo para assaltantes e usuários de droga da zona leste de Teresina.

Ao chegar no local onde foi carbonizado o corpo da vítima, a equipe da Rede Meio Norte encontrou, latas cortadas ao meio e cachimbos para consumo de crack, além de bastante material inflamável.

Testemunhas afirmam que, primeiramente, a vítima sofreu pancadas na cabeça e, em seguida, puseram-na em uma fogueira no 2º andar do prédio.

De acordo com a secretária da Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (Semtcas), Mauricéia Carneiro, a vítima tinha vínculos familiares e não era moradora de rua e que dispunha de uma atenção especial da Pastoral da Igreja Nossa Senhora de Fátima. ?A Celina por ser uma usuária de drogas, tinha recebido acompanhamento de forma especial. Ela estava na rua desenvolvendo o seu trabalho, que era olhar (guardar) carros. A questão é que os conflitos familiares dela eram muito grandes. A dependência química dela era muito grande, o que lhe causava transtornos mentais e que infelizmente resultou em sua morte.

Celina era bastante conhecida da vizinhança e ficava agressiva durante as crises. Ela também ocupava um espaço ao lado da Paróquia da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, onde se alimentava durante o dia.

Fonte: Denison Duarte