Mulher é encontrada morta, sem olhos, nua e amarrada em parque

"O crime foi terrível, fora do normal", afirma o delegado

Uma mulher de 56 anos foi encontrada morta na tarde desta sexta-feira (30) no bosque do Jardim Botânico, em Araraquara (SP). De acordo com a polícia, a vítima estava nua, amarrada e sem os olhos, tinha furos nos braços e parte da testa estava cortada.

O corpo foi encontrado por volta das 15h30 por um idoso de 65 anos que passava pelo local. Segundo a polícia, ele estava levando ração para os gatos que moram no parque, quando percebeu que os animais não se aproximavam, caminhou pelas árvores e se deparou com a mulher.

Após algumas investigações a polícia prendeu na noite de sexta-feira (30) um homem de 38 anos. Ele homem foi encontrado em um apartamento no Jardim Dom Pedro, próximo ao local do crime. Com ele estavam a arma utilizada no crime, uma faca e o celular da vítima.

A polícia informou o rapaz tem esquizofrenia e já foi internado em hospital psiquiátrico do município. O suspeito também já teria passagem na Polícia Militar por roubar uma bicicleta na mesma semana, mas foi liberado no mesmo dia, já que não houve flagrante. Ele também responde processo por tráfico de drogas, desacato e homicídio.

Mulher é encontrada morta, sem olhos, nua e amarrada em parque
Mulher é encontrada morta, sem olhos, nua e amarrada em parque


Segundo o hospital Caibar, o suspeito já havia sido internado no dia 22 de setembro por cumprimento de uma ordem judicial, mas acabou fugindo na manhã de domingo (25). Ele é portador de esquizofrenia, mas com a fuga, acabou não sendo avaliado pelo médico do hospital.


Morte cruel

"O crime foi terrível, fora do normal. A pessoa estava fazendo uma caminhada e foi abordada por alguém que a matou. Ainda não sabemos a causa da morte, mas já temos uma linha de investigação", afirmou o delegado Edivaldo Ravenna, que ficará responsável pela apuração do caso.

Ainda segundo Ravenna, perto do corpo foram encontrados objetos como tênis e meias, mas a polícia não acredita que haja relação entre os itens e o crime.

Para o delegado, a vítima resistiu ao ataque do agressor. “Ela foi morta de uma forma cruel, desumana, isso também chama atenção para qualificar o crime e demonstrar que não foi nenhum incidente momentâneo", relatou.

Guarda Municipal

A assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Araraquara informou que a Guarda Municipal realiza rondas periódicas no local, mas que o enfoque da corporação é a proteção do patrimônio público.

"Questões relacionadas à segurança pública, de combate à criminalidade, são de responsabilidade da Polícia Militar e Polícia Civil, a quem cabe esclarecer o crime", pontuou o município.

Fonte: G1