Mulher e enteada teriam sido mortas para encobrir estupro

Uma das hipóteses levantada pela polícia é de que a madrasta da criança tenha flagrado o ato

A Polícia Civil de Boicaúva do Sul, na região metropolitana de Curitiba, acredita que o assassino de madrasta e enteada tenha cometido os crimes para encobrir estupro que teria cometido contra a menina. Segundo o delegado responsável pela investigação, Homero Vieira Neto, tudo indica que o principal suspeito, um funcionário que foi contratado para fazer serviços de roçada na propriedade, tenha abusado sexualmente da menina antes do sequestro das duas.

"Eu conversei com a professora da garota e ela me disse que nas últimas semanas ela vinha apresentando um comportamento diferente. O rendimento escolar caiu e tudo indica que ela tenha sido molestada", disse o delegado.

Uma das hipóteses levantada pela polícia é de que a madrasta da criança tenha flagrado o ato e isso tenha motivado o duplo homicídio. Altamir José Rodrigues, 33 anos, continua foragido e é procurado pela polícia. Segundo o delegado, ele já tem passagem por homicídio e roubo. "Ele já tem passagem pelo sistema prisional. Ele entrou em contato com a família e alegou estar com medo de se entregar, já que, segundo ele, existe um mandado de prisão expedido. Pelo que eu verifiquei no sistema, não existia nenhum mandado contra ele, mas agora já pedi um", disse.

Entenda o caso

Karina Colimo, 10 anos, desapareceu na quinta-feira da semana passada, junto com a madrasta Lucimélia Luzia de Almeida, 27 anos. Lucimélia foi encontrada na noite de segunda-feira, dentro de uma mala, abandonada em um barranco, na propriedade rural onde morava com o marido e a enteada. A criança foi encontrada na quarta-feira, a 2 km de distância do local onde o primeiro corpo havia sido encontrado, mas ainda dentro da propriedade da família.

Segundo laudo divulgado pelo Instituto Médico Legal (IML), Lucimélia foi vítima de asfixia mecânica. Os resultados da perícia no corpo de Karina Colimo ainda não foram divulgados. Exames periciais devem elucidar se a garota foi vítima de crime sexual. O caso foi registrado na delegacia de Bocaiúva do Sul.

Fonte: Terra