Mulher é espancada em posto: "Ele disse que veado tem que morrer"

A mulher foi vítima de um ataque homofóbico; assista o vídeo!

Verônica de Moura, 26 anos, foi espancada no sábado (24/9), em Toledo, no Paraná, em um ataque homofóbico. Ela voltava para casa e parou em uma loja de conveniência, quando foi atacada por um homem.

A vítima relatou que ele a ofendeu sem qualquer razão aparente, na fila do comércio. Ele a agrediu com socos e chutes até derrubá-la. “Quando eu cheguei ali ele já queria fazer alguma coisa comigo, mas eu nem me preocupei, tinha tanta gente ali”, relatou Verônica.

Ela contou que ninguém que estava perto tentou defendê-la. Os homens, inclusive, continuaram bebendo cerveja. “Ele esperou que eu fosse atendida e veio pra cima de mim gritando que veado tem que morrer”, diz ela.

“O segurança ficou lá olhando, como se fosse um juiz de vale tudo” comenta Verônica. “Um descaso, as pessoas lá na conveniência ficaram olhando, não fizeram nada. A polícia então, um descaso também”.

As câmeras de segurança do local mostram o momento em que o agressor começa a espancar a jovem. “Ninguém chamou a polícia. A atendente ficou olhando, o dono do estabelecimento também. Eu que tive que ir pro outro lado da avenida e ligar pra polícia”.

Ela chamou a polícia, que demorou 20 minutos para chegar, mas o criminoso fugiu. “Eu cheguei mais perto pra tentar anotar o número da placa da moto, e ele começou a falar ‘agora eu vou te matar, vou terminar de te moer agora’, e eu saí correndo”.

Verônica fez o boletim de ocorrência e a delegacia já identificou o homem. “Eu estou denunciando não só por mim, mas por muitas pessoas que passam por isso. Eu já enfrentei tudo e não vou me calar agora por essa cidade”, afirmou Verônica.


Fonte: Com informações do Metropoles