Mulher é executada com oito tiros na frente da filha de apenas dois anos

O principal suspeito é o ex-companheiro da vítima.

Uma mulher foi morta com oito tiros, na frente da filha de dois anos de idade, na noite deste domingo (13), na cidade de Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

De acordo com as informações repassadas pela Polícia Militar (PM), a suspeita é de que o crime tenha sido passional.

Celina Rodrigues Silva, de 27 anos, estava transitando com o carro dela pela Alameda Marília de Dirceu, no bairro Jardim Karaíba, quando foi interceptada por um veículo de cor clara.

Um homem desceu do veículo e efetuou vários disparos na direção da mulher.

A mãe dela, uma senhora de 55 anos, estava em um dos bancos de passageiros, com a neta no colo.

Segundo ela, o assassino é o ex-companheiro da filha, um homem de 32 anos, com o qual a vítima morou por cerca de quatro anos.

Ele teria dito nesta semana, que se visse a ex com algum homem, a mataria ou mandaria matá-la.

A avó da criança acredita que só não foi morta porque estava com a menina no colo no momento do crime.

De acordo com a polícia, após receber os primeiros tiros, Celina Rodrigues perdeu o controle de direção do veículo e o carro deu um giro indo parar em uma área de mato.

Não satisfeito, o assassino foi até o carro e efetuou mais alguns disparos contra a mulher que foi atingida principalmente na região do rosto, pescoço, braço e peito.

Diversas munições de calibre ponto 40 foram encontradas pela perícia no local.

Depois de cometer o crime, o homem fugiu sentido à avenida Nicomedes Alves dos Santos.

Ainda segundo a testemunha, uma mulher e um segundo homem, estava no carro, juntos com ele.

Na casa do principal suspeito a policia foi informada de que ele está viajando há alguns dias.

Um carro encontrado na residência tinha pedaços de vegetação amarela, semelhante a que é encontrada no local em que a mulher foi morta.

A mãe da vítima disse ainda aos policiais, que o homem que matou a filha dela é traficante em um bairro da cidade e que ele também seria responsável pela morte de um filho dela, por questões relacionadas ao tráfico de drogas.

O filho está desaparecido há mais de um ano segundo a mulher.

Ninguém foi preso até o momento segundo a PM e a Polícia Civil (PC), investiga o caso.

Fonte: R7, www.r7.com