Mulher mata filhos do marido com requintes de crueldade por ciúmes

Ela matou porque eles eram tratados como príncipes na família.

Leavell-Keaton e John DeBlase ficaram conhecidos pela Justiça do Estado de Alabama (EUA) como um dos casais mais brutais da história. Em 2010, eles mataram, juntos, duas crianças e chocaram o país com a monstruosidade dos atos. As crianças eram filhos de DeBlase. Leavell era madrasta, e foi responsável pelos detalhes mais cruéis do crime, que envolveu muita tortura e queimadas de cigarro.

Leavell, considerada uma mulher dominadora, manipuladora  e moralmente desequilibrada pelo júri, passou a colocar veneno na comida das crianças. A madrasta também queimou a garotinha com pontas de cigarro durante meses. Usou cera quente para deixar ferimentos ainda mais graves na pele.

Image title

Mas a crueldade não parou por aí. A filha mais velha foi amordaçada com fita crepe e deixada para morrer dentro de uma mala de viagem. Quando finalmente foi retirada de lá, após 12 horas, ela já estava morta por asfixia. Seu corpo foi jogado em um saco de lixo e desovado no mato.

O crime, segundo os investigadores do caso, foi motivado por inveja. Rancorosa, a madrasta resolveu tirar a vida da garotinha, "porque ela era tratada como uma princesa por alguns membros da família"  

Três meses depois da morte de Natalie, Chase começou a perguntar o que havia acontecido com sua irmã. Sem entender o sumiço repentino, ele passou a questionar, e foi visto como uma "ameaça" pelos criminosos. Não demorou muito até que ele se tornasse a próxima vítima. Antes de ser sufocado até a morte, o garoto foi amarrado em um cabo de vassoura no canto do quarto do casal. De acordo com depoimento de testemunhas, Chase passou a noite toda amarrado como se fosse bicho, e foi assassinado no dia seguinte.

O corpo também foi enterrado em uma floresta local. Seus restos mortais foram encontrados dias depois. 

Image title

Image title


Fonte: Com informações do R7