Mulher mata marido a facadas após ser agredida pela 6ª vez

Mulher mata marido a facadas após ser agredida pela 6ª vez

Advogado diz que ela tentou se defender, quando era enforcada pela vítima. Em quatro anos, jovem registrou cinco boletins de ocorrência por agressão.

Uma jovem de 22 anos foi presa após matar o marido a facadas na noite desta segunda-feira (14), no bairro Campos Elíseos, em Ribeirão Preto (SP). A suspeita alega que era agredida constantemente pelo rapaz, de 23 anos, desde que passou a morar com ele, há sete anos. A Polícia Civil tem cinco boletins de ocorrência registrados sobre as agressões e investigará o caso.

O advogado da mulher, Hamilton Paulino Pereira Junior, contou que o marido chegou a casa onde a família morava, na Rua Aliados, por volta de 23h e tentou enforcar a mulher, que estava na cozinha. ?Ele bebia, usava drogas. Era um psicopata.?

Em depoimento, a jovem disse que tentou se defender com uma faca, que estava em cima da pia, e acabou atingindo o marido com dois golpes, um no peito e outro na barriga. Em seguida, ela se escondeu no banheiro e ligou para a Polícia Militar. Os policiais encontraram o homem morto no chão da cozinha.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Ribeirão. Apesar de alegar legítima defesa, a jovem foi presa em flagrante por homicídio e será encaminhada à cadeia de Cajuru (SP). Pereira Junior disse que entrará com um pedido de relaxamento da prisão e liberdade provisória.

Investigação

A casa onde o casal morava com a filha de 3 anos foi periciada. A faca utilizada no crime e duas pedras de crack foram apreendidas. Levantamento da Polícia Civil constatou que cinco boletins de ocorrência já haviam sido registrados pela jovem, alegando violência doméstica.

O primeiro deles teria sido feito em janeiro de 2009, quando a mulher conta que o marido bateu em sua perna com um cabo de vassoura e depois jogou um banco de madeira contra ela. "Esclarece que a bisavó dele tentou intervir, mas também acabou ferida levemente", consta no BO. O caso será investigado pelo 2º Distrito Policial.

Fonte: G1