Mulher mata o filho após discussão sobre política em Boa Hora

A mulher possui transtornos mentais e usou uma faca para matar.

Um homem identificado como Idelfonso da Silva Sousa, 31 anos, foi assassinado pela própria mãe na tarde de domingo (18) na cidade de Boa Hora. De acordo com informações, o crime foi motivado por uma discussão política. Mãe e filho apoiavam candidatos diferentes e um jingle de campanha teria iniciado a briga.

A mulher identificada por Maria Celeste da Silva Sousa, 50 anos, possui transtornos mentais e usou uma faca para assassinar o filho. Segundo relatos, a vítima chegou em casa embriagado, depois de encontrar a mãe ouvindo a música de um candidato a prefeito teria se tornado agressivo e destruído objetos dentro da residência. Celeste terminou desferindo uma facada em Idelfonso.

“A mãe apoia um candidato e o filho outro. Hoje ele chegou na casa da mãe alcoolizado e começou a quebrar as coisas dentro de casa durante uma discussão com a mãe porque ela estava ouvindo a música do candidato que apoia. Ela que tem problemas mentais atingiu o filho com uma facada no peito”, conta o radialista Frank Ribeiro.

Celeste foi detida e transferida para a delegacia de Barras logo após o crime. Segundo Cabo Orleâncio, comandante do Grupamento de Polícia Militar (GPM) de Boa Hora, a acusada já havia sido detida na cidade depois que tentou agredir o gestor do município há dois anos.  

“Ela já foi detida há uns dois anos quando tentou agredir o prefeito da cidade. Na época que foi detida, um grupo liderado pelo candidato que apoia tentou invadir a delegacia para resgatá-la. Ela apresenta problemas mentais. Constantemente ela se envolve em discussões políticas, enquanto o filho tinha problemas com bebidas alcoólicas.”, diz Orleâncio.

 Segundo o soldado Fontelene que atendeu a ocorrência, a polícia desconhece motivações políticas no assassinato. Segundo ele, os vizinhos comentam que Celeste estava num dia de crise dos transtornos e Idelfonso trocou força com a mãe devido estar alcoolizado.

Image title

Image title

Image title

 

Fonte: Com informações do Campo Maior em Foco