Mulher propõe sexo na mata, ataca marido e é condenada

O julgamento ocorreu em uma corte da cidade de Bristol. Joanne chorou ao saber da condenação

Uma britânica de 39 anos foi condenada nesta quarta-feira (21) por ter tentado cortar a garganta de seu marido depois de tê-lo levado a uma floresta com a promessa de fazer sexo com ele, segundo os tabloides britânicos.

Segundo a acusação, o objetivo de Joanne Hale era se livrar do marido para ficar com um homem que havia conhecido na Internet -e que iria conhecer pessoalmente logo depois de cometer o crime.

O julgamento ocorreu em uma corte da cidade de Bristol. Joanne chorou ao saber da condenação. Sua pena deve ser definida apenas em novembro.

O crime ocorreu em 27 de dezembro do ano passado. A vítima, Peter Hall, de 43 anos, tomou um afrodisíaco natural chamado "horny goat weed" (erva da cabra no cio, em uma tradução livre), em 27 de dezembro de 2008, depois que a mulher prometeu que faria amor com ele no parque Stoke.

O casal chegou ao parque e rolou pela grama antes de Joanne atacar o marido. Ela fez um corte de 12 centímetros na garganta dele e depois o esfaqueou, atingindo-o no pulmão.

Joanne mantinha um relacionamento extraconjugal com Philip Sudol, um funcionário dos correios, que também era casado -mas escondeu esse detalhe da parceira on-line. Ele havia vindo de Leeds para Bristol para conhecer Joanne.

Segundo testemunhas, Joanne deixou o marido ferido com um passante, sem explicar que o conhecia e o que tinha ocorrido. Depois, dirigiu ao encontro do amante para enfim conhecê-lo.

Mas o marido sobreviveu e acabou acusando a mulher, que foi presa. Ela vai ser mantida mantida em custódia até ser sentenciada.

Fonte: g1, www.g1.com.br