Mulher que postou mensagem no Facebook foi assassinada com dois tiros no lugar de sua irmã

Mulher que postou mensagem no Facebook foi assassinada com dois tiros no lugar de sua irmã

Segundo a polícia, Edna foi executada com dois tiros de revólver calibre 38

"Acabei de levar um tiro aqui dentro (sic) de casa" . A mensagem foi publicada no Facebook por Edna Célia de Oliveira, de 41 anos, pouco antes de morrer. O crime aconteceu em São Mateus, região Norte do Espírito Santo, por volta da meia-noite de domingo (14) e a postagem na internet foi apagada nesta segunda-feira (15).

Segundo a polícia, Edna foi executada com dois tiros de revólver calibre 38. Um disparo atingiu o lado esquerdo do peito e outro, a cabeça. Já baleada, ela teria ligado do celular para um conhecido pedindo socorro. Em seguida, postou em sua página na rede social a mensagem. O texto teve mais de mil compartilhamentos, mas, depois, foi apagado.

O rapaz, a quem a vítima pediu socorro, contou à polícia que foi ao local assim que recebeu o pedido de socorro e viu quando um homem, negro, saiu da casa e entrou em um carro escuro, que estava parado em frente à residência de Edna. Em seguida, o suspeito fugiu.

Alvo

De acordo com o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (PM), Edna tinha acabado de chegar em casa, que fica na Quinta Avenida, no balneário de Guriri, e, segundo a polícia, acabou morrendo no lugar da irmã dela. A mulher, que não será identificada por medida de segurança, informou à polícia que o assassino foi ao local para matá-la.

Um notebook e o celular da vítima foram encontrados no local e estão no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de São Mateus. O corpo de Edna será levado hoje para a cidade de Tucuruí, no Pará, onde mora a família da vítima.

Família

O irmão da vítima, José Antônio Souza de Oliveira, que mora no Pará, falou por telefone e disse que não acredita que a outra irmã seja o alvo dos criminosos. "É possível que, em um momento de desespero, ela tenha fala isso, mas não acreditamos nessa linha de investigação. Minha irmã é uma pessoa tranquila. Ninguém sabe o que aconteceu. Eu vou ao Espírito Santo para acompanhar o caso. Quero que os fatos sejam esclarecidos. O que a gente quer é justiça", comentou o irmão da vítima.

Fonte: G1