Mulher se mata após assassinar filhas em quarto de motel

O caso foi registrado pela Delegacia de Plantão de Itabira, mas será investigado pelo delegado Juliano Alencar, da Delegacia de Homicídios.

A Polícia Civil investiga a morte de Ana Flávia Marques Teixeira, de 34 anos, e suas duas filhas em um motel no município de Itabira, região central de Minas Gerais. O crime aconteceu no último domingo (11) e a suspeita é de que a mulher tenha se matado, após assassinar as crianças, sendo uma de quatro anos e outra de apenas dez meses.  

De acordo com Boletim de Ocorrência, uma funcionária do motel teria acionado a PM (Polícia Militar) após desconfiar de que havia alguma coisa errada no quarto onde estava a família. Segundo ela relatou aos militares, Ana Flávia teria pedido para ser chamada às 17h. No entanto, ninguém teria respondido e, ao olhar por debaixo da porta, a funcionária viu os pés da mulher aparentemente roxos. 

Após abrir a porta do quarto, os policiais se depararam com a mulher e as crianças mortas. Ela teria se enforcado em um suporte para tolhas instalado na parede do quarto. Já as filhas estavam na cama e não apresentavam nenhuma lesão aparente, mas uma seringa foi encontrada na lixeira do quarto e a polícia vai investigar se elas foram envenenadas.  

Ainda conforme a PM, Ana Flávia teria deixado um bilhete sobre a mesa com o telefone do pai, que compareceu ao local, e de outras duas pessoas. Ele disse que teria recebido um áudio que a filha tinha mandado a uma amiga dando a entender que ela se mataria pois não se conformava com o fato de ter perdido a guarda da filha mais nova para o ex-marido.   

Segundo a Polícia Civil, a mulher e as crianças estavam desaparecidas desde dezembro do ano passado. Elas moravam no município de João Monlevade, também na região central, e a Ana Flávia teria fugido com as filhas. Já a prefeitura de João Monlevade informou que a Ana Flávia era servidora do órgão desde 2006, na função de motorista, mas estava de férias desde o dia 15 de dezembro.

O caso foi registrado pela Delegacia de Plantão de Itabira, mas será investigado pelo delegado Juliano Alencar, da Delegacia de Homicídios.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: R7