Mulheres sofrem sequestro relâmpago dentro da Unicamp

De acordo com a Secretaria da Segurança pública, as vítimas são uma bióloga de 45 anos e uma nutricionista de 28 anos

Duas mulheres sofreram um sequestro relâmpago dentro do campus da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) na última quarta-feira (3), mas o caso foi divulgado somente nesta sexta-feira. Após o incidente, a universidade informou que irá aumentar a segurança do campus com a instalação de um sistema de câmeras.

De acordo com a Secretaria da Segurança pública, as vítimas são uma bióloga de 45 anos e uma nutricionista de 28 anos. Em depoimento à polícia, elas contaram que foram abordadas por dois homens armados quando manobravam o carro em um dos estacionamentos da universidade.

O crime ocorreu por volta das 12h, na rua Monteiro Lobato. Os dois assaltantes foram para o banco de trás do carro e obrigaram a nutricionista a dirigir pela região.

As duas só foram liberadas na cidade de Paulínia, que fica próxima à Unicamp. Os assaltantes fugiram levando o carro, celulares, R$ 140 e alguns objetos.

O caso foi registrado no 7º DP de Campinas, que vai conduzir as investigações.

Outro lado

Em nota, a Unicamp disse que esse foi o primeiro caso de sequestro relâmpago registrado neste ano. Em 2007 foram três, e nos dois anos seguintes foram registrados um por ano. "Índices muito inferiores aos verificados no centro urbano de Campinas. Mesmo assim, a Unicamp tem se preocupado e tomado medidas."

Entre as medias está a instalação de 240 câmeras de monitoramento de todo o campus, que devem entrar em operação em até dois meses.

A Unicamp disse também que deve intensificar as rondas feitas pelos vigilantes --são 344, distribuídos em 132 postos, além de 11 carros e 11 motos.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br