Municípios sem delegado terão coordenadores de segurança, diz Abreu

A função é embasada no auxílio às atividades de polícia judiciária

Em reunião realizada na manhã de ontem com o secretário de Governo, Merlong Solano, o delegado geral Riedel Batista e outras autoridades piauienses, o secretário de Segurança, Fábio Abreu, apresentou o projeto que cria o cargo de coordenador de segurança em âmbito estadual. A elaboração, solicitada pelo governador Wellington Dias, tende a reforçar a atuação no setor nos municípios piauienses, facilitando a ação policial nas comunidades em que não há delegado.

A função é embasada no auxílio às atividades de polícia judiciária, melhorando a segurança no interior. Com a formalização do novo plano, a previsão é que dentro de alguns meses o trabalho desses profissionais já possa ser percebido pela população. A proposição segue as mesmas diretrizes adotadas em outros entes federativos, como São Paulo e Santa Catarina.

Animado, Abreu impôs para as prerrogativas que os coordenadores de segurança terão, confluindo em um melhor e mais amplo atendimento aos munícipes. “Os coordenadores de segurança terão a função de auxiliar os delegados das regiões mais próximas na questão do atendimento ao público, registrando boletins de ocorrência, tomar as primeiras providências, solicitar perícias e atender melhor a população. Foi isso que o governador Wellington Dias passou para a equipe de segurança, no sentido de possibilitarmos um melhor atendimento à população”, destacou.

Image title


Ciente do teor da proposta, Riedel Batista indicou que a criação da função possibilitará a atuação de ou- tros agentes do setor, conduzindo para a participação da Procuradoria Geral do Estado na normatização do projeto. “A normatização da função já está sob estudo junto à Procuradoria Geral do Estado e ela poderá ser exercida tanto por policiais civis quanto militares”, disse. O cerne da questão foi resumido pelo secretário Fábio Abreu, explicitando o novo instrumento de segurança pública. “Esses coordenadores atuarão em municípios de pequeno porte onde não existe a presença de delegados”, finalizou.

Fonte: Francy Teixeira