Namorada de 20 anos teria mandado matar homem de 67, diz polícia

Corpo foi encontrado em Tiradentes - SP

A Polícia Civil localizou na manhã deste sábado (24), no Morro do Gabiru, em Cidade Tiradentes, na Zona Leste de São Paulo, o corpo de um metalúrgico de 67 anos que estava desaparecido desde segunda-feira (19). Ele teria sido morto asfixiado, com os pés e as mãos amarradas, por ordem da namorada que, segundo a polícia, tem cerca de 20 anos. Ela teria encomendado o crime após descobrir que o metalúrgico possuía cerca de R$ 30 mil em sua conta bancária.

De acordo com o delegado Luís Jesus de Castro, do 54º DP, o caso começou a ser investigado na quarta-feira (21), quando irmão da vítima registrou um boletim de ocorrência. Na noite de quinta (22) para sexta-feira (23), dois homens entraram na casa do metalúrgico e tentaram levar uma pick-up que estava na garagem. Os vizinhos estranharam a movimentação e chamaram a polícia.

A polícia deteve a dupla e perguntou como eles possuíam a chave do veículo. Os homens teriam dito, então, que o metalúrgico foi vítima de um sequestro seguido de morte. No dia do desaparecimento, a namorada o havia convidado para ir até a casa dela, quando ele foi levado pelos criminosos, que roubaram um veículo Fiesta.

Os criminosos também teriam dito à polícia que o crime foi encomendado pela namorada, que queria ficar com os bens do metalúrgico.

?Ela foi a mentora do crime, chamou os amigos e dividiu o dinheiro com eles?, disse o delegado. O dinheiro que estava depositado na conta bancária do metalúrgico já havia sido retirado.

Após a prisão dos suspeitos, a polícia chegou até o local onde o corpo foi enterrado, no Morro do Gabiru. A vítima foi encontrada com as mãos e os pés amarrados e sinais de asfixia. A perícia agora vai determinar quando o metalúrgico foi morto.

Além da namorada, a polícia afirma que o crime foi cometido por outros sete homens. Três já foram presos. A polícia procura pelos criminosos e pela namorada, que já tem passagem pela polícia por tráfico de drogas, segundo Castro.

Fonte: g1, www.g1.com.br