"Namorado Secreto"é suspeito de matar namorada grávida a facadas

A família só soube da morte após a amiga ir até a casa de Elisângela para chamá-la, mas a encontrou morta.

Image title

Uma mulher de 30 anos foi encontrada morta dentro de casa em Suzano, na manhã de domingo (26). O crime é um mistério para a polícia, mas há suspeita de que o assassinato tenha sido cometido pelo namorado da vítima, que é casado.

Elisangela de Moraes sonhava em ser mãe. De acordo com José Joaquim de Moraes, pai da vítima, a jovem era filha caçula e muito companheira.

Há um ano, Elisangela ia com as amigas a reuniões do CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) uma vez por mês.  Ela aguardava que uma obra de casas populares ficasse pronta para sair do aluguel.

Ela não costumava faltar às reuniões e foi justamente a ausência dela que chamou a atenção de uma amiga. A família só soube da morte após a amiga ir até a casa de Elisângela para chamá-la, mas a encontrou morta.

Elisângela trabalhava como ajudante geral em uma empresa perto da casa dela. Sempre que chegava em casa, ligava para a irmã. Na noite de sábado (25), Elisângela disse à irmã que não iria sair porque estava frio.

No domingo de manhã, a irmã ligou para a ajudante geral várias vezes, mas ela não atendeu. Segundo a irmã, que não quis se identificar, Elisângela estava caída atrás da porta. O resgate foi chamado, mas a jovem já estava morta.

Elisângela foi assassinada com golpes de faca. A arma usada no crime não foi encontrada. A família diz que ela era reservada, não gostava de falar sobre relacionamentos, mas não reclamava de ameaças.

Há muitas dúvidas, como a forma que o assassino entrou na casa. Segundo a família, a porta da casa não estava arrombada. Testemunhas afirmam que Elisângela tinha um relacionamento antigo com um homem casado. E ela contou para este homem recentemente que estava grávida dele.

A família não conheceu o namorado misterioso. A polícia não encontrou nenhuma foto do suposto namorado na casa nem no celular de Elisângela. Outra testemunha disse que Elisângela se encontrava uma vez por semana com este homem. Ela chegou a dizer para esta testemunha que tinha medo porque o namorado era violento.

Fonte: R7