No ES, cela para 36 abriga 256

Para o juiz do CNJ, os detentos estão submetidos a condições insalubres

Durante uma inspeção na Cadeia de Vila Velha (ES), nesta sexta-feira (22), representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) encontraram 256 detentos em uma cela com capacidade para abrigar 36 pessoas.

O órgão solicitou que a Secretaria de Saúde do Espírito Santo providencie atendimento médico aos presos que estão no local. Segundo o juiz auxiliar da presidência do CNJ, Erivaldo Ribeiro, os detentos correm riscos de contrair doenças graves, inclusive tuberculose.

Para o juiz do CNJ, os detentos estão submetidos a condições insalubres. Nos últimos dois meses, duas pessoas teriam morrido por infecção generalizada dentro da cela.

A inspeção do CNJ nos presídios do Espírito Santo começou na segunda-feira (18). O resultado dos trabalhos será reunido em um relatório, que será encaminhado à Corregedoria Nacional de Justiça.

Ausência da defensoria pública

De acordo com representantes do CNJ, nos sete presídios inspecionados no Espírito Santo desde o início da semana há celas superlotadas e presos precisam se revezar para dormir. O órgão também constatou falta de atuação da defensoria pública.

Fonte: g1, www.g1.com.br