Número de condutores presos aumenta 150% em Teresina

Os dados são da Companhia de Policiamento de Trânsito, que afirma que esse aumento se deve ao enrijecimento da Lei Seca e das fiscalizações

O número de pessoas conduzidas para distritos policiais desde dezembro do ano passado aumentou 150% em Teresina. A informação é do comandante da Companhia de Policiamento de Trânsito. (Ciptran), Adriano Lucena. Ele afirma que esse aumento se deve ao enrijecimento da Lei Seca e das fiscalizações realizadas na capital.

Além do aumento no número de pessoas conduzidas aos distritos policiais, aumentou ainda, em 200%, o número de testes de alcoolemia realizados durante as blitzen feitas em Teresina. Contribuiu para isso o número de fiscalizações que aumentou nos últimos meses. ?Não temos mais dia nem hora para realizar blitze. Todo dia é dia. Toda hora é hora. Nós fazemos quatro por dia, durante os sete dias da semana?, disse.

Quanto aos artifícios usados pelos condutores como as redes sociais e alguns aplicativos que avisam sobre a localização de blitzen, o comandante afirmou que estão sendo feitas adaptações em relação à realização destes trabalhos para que a eficácia das fiscalizações não seja comprometida.

?Antes nossas blitzen eram mais estáticas, agora são mais dinâmicas. Antes passávamos muito tempo em um único local, agora nós preferimos nos movimentar mais, ficando cerca de 40 minutos em cada lugar?, pontuou.

Lucena afirma ainda que não há como lutar contra as novas tecnologias e o advento das redes sociais. A saída é a adaptação. Mas alerta a população para as consequências destes atos. ?Pessoas que fazem isso estão contribuindo com os altos índices de acidentes e mortes na nossa capital. Não podemos ir de encontro às novas tecnologias, mas as pessoas devem ter cuidado com os seus atos. Nós vamos continuar fazendo nosso trabalho de forma intensa e buscando nos adequar?, afirmou.

O número de abordagens, segundo o major, é parecido durante os dias da semana e nos finais de semana, mas o número de resultados positivos quanto ao índice proibido de álcool no sangue acaba sendo maior no final de semana.

Fonte: Pollyana Carvalho