"O sangue subiu", afirma homem que matou própria filha a facadas

Francisco de Sousa esfaqueou a mulher e a filha de apenas 4 meses.

Francisco Jaílton de Sousa, suspeito de matar a facadas a filha de apenas quatro meses de vida e ferir a esposa, confessou que cometeu o crime porque ficou com raiva quando a mãe da menina começou a gritar no momento em que ele a ameaçava. O crime aconteceu porque Andressa Pereira, de 20 anos, havia denunciado o marido por agressão.



? Já tinha ameaçado minha mulher várias vezes. Ela começou a gritar e eu fiquei com raiva. O sangue subiu pra minha cabeça e eu fiz essa besteira, mas não queria matar a minha filha. Eu nem vi que tinha acertado a menina.

O crime ocorreu na madrugada de sexta-feira (21). Andressa Pereira, de 20 anos, mulher de Souza, também foi esfaqueada e encontra-se internada. A criança morreu no sábado e foi enterrada na última terça-feira (25), no cemitério do Pechincha.

De acordo com a família de Andressa, o casal brigava frequentemente. No último dia 10, a mulher do suspeito havia denunciado Sousa a Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) por agressão. Ele se revoltou com a atitude de Andressa, que dizia que queria se separar dele.

Sousa foi preso na última quinta-feira (27) por policiais do Batalhão de Rocha Miranda (9º BPM). Com mandado de prisão expedido pela Justiça pelo crime de homicídio, ele foi localizado na rua Domingos Lopes, em Campinho, na zona norte do Rio. Ele foi levado para a Delegacia de Madureira (29ª DP).

Na última quarta-feira (26), o Disque-Denúncia havia lançado o cartaz de Francisco. O bebê foi ferido no peito e no rosto.

Ainda segundo familiares de Andressa, Sousa tinha a bebê como principal alvo. Ele queria se vingar por causa da ameaça do fim do relacionamento. Andressa teria se atirado na frente da filha para defendê-la.

Fonte: r7