Operação policial contra o trafico deixa dez mortos

Operações contra o tráfico deixam 10 mortos no Rio

Depois de anunciar que havia subido para 12 o número de mortos na operação nas favelas da Coreia, Taquaral e Rebu, na zona oeste do Rio, a Secretaria Estadual de Segurança retificou a informação e disse que os mortos foram 10. Uma mulher de 43 anos, Ana Maria Souza, foi ferida por um tiro no glúteo, e não corre risco de morte.

De acordo com o delegado da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), Rodrigo Oliveira, o objetivo é reprimir a ação de traficantes nas favelas da Coreia, Taquaral, Rebu e Vila Aliança. Segundo o delegado, armas foram apreendidas.

Conforme a PM, após o final da operação, três traficantes tentavam retornar à favela, quando se depararam com policiais militares.

Houve troca de tiros e os três bandidos morreram. Com eles foram apreendidas três pistolas e cinco granadas. A operação policial, que começou pela manhã, conta com a participação de 300 policiais civis de diversas delegacias especializadas do Rio. Veja reportagem sobre a operação

Homens da Delegacia de Repressão às Armas e Explosivos (Drae) localizaram no interior da favela da Coreia a casa do chefe do tráfico local, conhecido como Aranha. A casa tem dois andares, duas piscinas e churrasqueira.

A operação provocou o fechamento de três escolas municipais e quatro creches. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, poucos alunos compareceram às aulas.

Ao todo, há 10 escolas e quatro creches na área. Uma creche não chegou a abrir. Em outras escolas, apenas funcionários compareceram.

Fonte: CSPB