Operação prende empresário no PI

Os veículos eram arrematados em São Paulo e vendidos em várias cidades do sertão

Uma operação conjunta entre a Polícias Militar e Civil em Paulistana, prendeu na manhã de ontem(17), o empresário Fernando Cicinato de Sousa, 35 anos, acusado de estelionato e crime contra a ordem tributária. O empresário é acusado de comprar motocicletas em leilões e revendê-las com notas fiscais falsificadas.

Os veículos eram arrematados em São Paulo e vendidos em várias cidades do sertão piauiense, com preço abaixo do mercado. Foram apreendidas 33 motocicletas e seis motores que estariam com os chassis adulterados.

A investigação começou há cinco meses, quando um cidadão comprou uma moto e percebeu que o chassi estava adulterado e procurou a polícia. ?Daí começamos a acompanhar todas as transações que ele fazia, já que no meio das motos do leilão, também suspeitamos de terem motos furtadas e roubadas em São Paulo?, destacou o delegado.

?Quando se compra uma moto em leilão, somente as peças podem ser vendidas separadamente, por isso as notas eram falsificadas, na empresa que ele montou aqui na região, chamada de Motocross. Por ele vender motos semi-novas com preço abaixo do mercado, concessionárias estavam pensando em fechar as portas, agora descobrimos a origem desses preços?, explicou o delegado Regional de Paulistana, Edilberto Amorim.

Na operação, os policiais encontraram um galpão com cinco mil metros quadrados, com mais 200 motocicletas para serem vendidas.

Fernando Cicinato é natural de Paulistana e teria passado um tempo em São Paulo, onde teria conseguido capital para abrir uma empresa na cidade, chamada Motocross, que supostamente vendia peças de motos, mas segundo a polícia, servia para expedir as notas falsas.

O empresário está preso na Delegacia Regional sendo ouvido pelo delegado Edilberto Amorim, ele foi preso em flagrante. A polícia militar procura mais um suspeito que seria o seu comparsa na cidade. Há informações de que pessoas em São Paulo estejam envolvidas no crime.

Fonte: Riachão net