Operações da PF contra o tráfico de drogas prendem 59

De acordo com a PF, o grupo agia na fronteira do Brasil com Paraguai, Bolívia e Colômbia

Duas operações da Polícia Federal contra tráfico de drogas resultaram na prisão de pelo menos 59 pessoas, nesta quarta-feira (28).

Na Operação Triângulo, que acontece em cinco estados, foram 37 presos até o início da tarde. Um dos chefes da quadrilha estava em uma casa, em Ituiutaba (MG). Também foram apreendidos R$ 100 mil e dez veículos. A polícia ainda busca outros suspeitos de envolvimento no esquema de tráfico.

Participam da operação 210 policiais federais. Devem ser cumpridos, no total, 44 mandados de prisão e 40 de busca e apreensão, nos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia.

De acordo com a PF, o grupo agia na fronteira do Brasil com Paraguai, Bolívia e Colômbia e levava a droga aos traficantes dos cinco estados.

Preso no comando

Já a Operação Pérola tem o objetivo de desmontar um grupo criminoso comandado por um homem que está preso há sete anos no Complexo Prisional de Goiás. Segundo a polícia, nos últimos três anos, ele trocou de celular pelo menos 50 vezes para fazer ligações de dentro do presídio.

Telefonemas interceptados pela polícia permitiram identificar os outros integrantes da quadrilha. Nesta madrugada, os agentes começaram a cumprir os 27 mandados de prisão da Operação Pérola, em seis estados e no Distrito Federal, além de quatro países. Pelo menos 22 pessoas foram presas. Foram recolhidos carros de luxo.

De acordo com as investigações, a droga era comprada na Colômbia e seguia por duas rotas para distribuição: uma pelo Pará e outra pelo Suriname. A cocaína era vendida no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa.

Entre os presos, está o chefe de outra quadrilha, que usava o mesmo contato no Suriname: um traficante que está sendo procurado pela Interpol.

O traficante que estava preso em Goiás foi encaminhado à sede da Polícia Federal e deve ser transferido para um presídio federal, com esquema de segurança capaz de impedir ligações telefônicas.

Fonte: g1, www.g1.com.br