Operário acha ossada humana que estaria há 12 anos enterrada em fossa

Operário acha ossada humana que estaria há 12 anos enterrada em fossa

Uma ossada humana foi encontrada enterrada na fossa de uma empresa em Campo Grandeno sábado (28). O delegado Enilton Zalla, da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), acredita que o esqueleto estava soterrado há pelo menos 12 anos por conta dos vestígios. Havia próteses de silicone e uma calcinha com os ossos, o que indica que a vítima pode ser mulher.

O material foi encontrado por volta das 13h na avenida Tiradentes, bairro Taveirópolis. Zalla relatou que um empregado da empresa estava retirando areia da fossa quando achou a ossada a aproximadamente dois metros de profundidade. Os ossos estavam divididos em três sacos de ração de cachorro que tinham, na data de fabricação, o ano de 2003. Isso, conforme o delegado, indica a antiguidade do soterramento.

“Pela estatura da bacia, pelo tamanho do fêmur, pelo crânio, era uma mulher que não devia ter mais de 1,75 metro. Parecia que o crânio tinha sinal de pancada”, detalhou o delegado, destacando que a morte pode ter sido violenta.

A Polícia Civil e a perícia recolheram o material e o levaram para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol). Lá, será feito levantamento para identificar a vítima. “O Imol vai fazer tentativa de identificação pela arcada dentária e extrair DNA para guardar e tentar identificar”, disse o delegado.

Zalla relatou que o silicone tinha número de série, fator que pode ajudar na identificação da vítima.

O caso será encaminhado para a Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios (DEH). O delegado orienta que pessoas que tiverem parentes desaparecidos desde 2003 entrem em contato com a polícia pelo 190.

De acordo com Zalla, o proprietário da empresa declarou que mudou-se para o local em 2009. Antes disso, a informação é de que havia um canil no local.

Fonte: g1.com.br