Jovens fazem "pacto de morte" após famílias não aceitarem relacionamento gay; um sobreviveu

Jovens fazem "pacto de morte" após famílias não aceitarem relacionamento gay; um sobreviveu

Adolescente de 16 anos foi encontrado enforcado dentro de banheiro da escola

A polícia aguarda um lado do IML (Instituto Médico Legal) para concluir se a morte de um adolescente de 16 anos dentro do Instituto Federal Catarinense na cidade de Sombrio, em Santa Catarina, se tratou de um homicídio ou suicídio. A vítima e o namorado teriam feito um ?pacto de morte? porque ambas as famílias não aceitavam o relacionamento gay. Um adolescente foi achado enforcado dentro do banheiro do local e o outro sobreviveu.

O delegado Luís Otávio Pohlmann informou que o corpo não tinha indícios de suicídio, mas sim de ter sido asfixiado por outra pessoa. O namorado do menor morto foi detido e contou que ajudaria o rapaz a se matar e depois cometeria suicídio. Ao ver o corpo do outro, ele se desesperou e chamou socorro. A polícia informou que o menor ainda tentou se matar, mas não conseguiu porque ficou nervoso.

Ele foi detido e encaminhado para a delegacia do município, onde prestou depoimento. O delegado informou que aguarda o laudo do IML (Instituto Médico Legal) para saber a causa da morte antes de indiciar o suspeito. A polícia quer saber se ele enforcou o namorado ou o ajudou a cometer o suicídio.

O Instituto Federal divulgou por meio de nota que lamenta a morte do aluno e que ambos os envolvidos no caso eram bons estudantes, sem nenhum indício de mau comportamento. A instituição informou ainda que repudia qualquer gesto de preconceito e suspendeu as aulas por tempo indeterminado como forma de luto.

Fonte: r7