Padrasto confessa que mordeu e estuprou bebê de 1 ano

A mãe e o padrasto do menino foram apresentados nesta segunda

O padrasto do bebê que foi hospitalizado com marcas de mordidas no domingo (12), em Manaus, confessou à polícia ser o autor das lesões e do estupro contra o menino de 1 ano e quatro meses.

Na delegacia, o suspeito, de 17 anos, declarou que estava sob efeito de entorpecentes. A mãe do bebê, de 22 anos, também foi presa. Ela nega ter conhecimento do crime.

A pediatra que atendeu a criança em uma unidade de saúde na capital contou  que o menino tinha diversas marcas de mordidas, hematomas de espancamento por todo corpo e ferimentos no pênis.

Na ocasião, a família negou que tivesse ocorrido violência contra o bebê.

A mãe e o padrasto do menino foram apresentados nesta segunda-feira (13) à imprensa. De acordo com a polícia, o adolescente foi preso na casa da avó.

Casal foi preso após bebê ser violentado (Crédito: G1)
Casal foi preso após bebê ser violentado (Crédito: G1)


A mulher foi detida ao prestar depoimento no domingo. Na delegacia, o adolescente confessou o crime à polícia e disse que estuprou e mordeu a criança.

Ele disse que estava sob efeito de drogas, mas que lembra com detalhes do crime. "Tava drogado, tinha cheirado pó. Só lembro que mordi. Eu brincava com ele", declarou.

A delegada Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), informou que o suspeito relatou, em depoimento, ter sufocado o bebê em vários momentos e afirmou não entender como a mãe não ouviu o choro da criança, já que o menino gritava muito.

Além disso, ele dormia na cama entre os dois.A mãe nega envolvimento no caso. "Nem desconfiava que ele fazia isso com meu filho. Ele acalentava meu filho. Sinto ódio e revolta porque estou pagando por algo que não fiz", disse a mulher na delegacia.

Juliana Tuma informou que o exame de corpo de delito realizado no menino apontou que as marcas de mordidas no corpo e no pênis do bebê foram feitas por um adulto. Ainda conforme a delegada, o bebê voltou a ser internado.A mãe e o padrasto foram indiciados por crime de tortura e estupro de vulnerável. A mulher também vai responder criminalmente por omissão.

O adolescente está apreendido na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), onde aguardará decisão judicial. A mãe será levada à cadeia feminina.

Bebê ficou com hematomas pelo corpo  (Crédito: Divulgação)
Bebê ficou com hematomas pelo corpo (Crédito: Divulgação)


ENTENDA O CASO

A mãe do menino de um ano e quatro meses foi encaminhada à polícia, no domingo (12), após o filho ser atendido no Pronto-Socorro da Criança João Lúcio, na Zona Leste de Manaus, com marcas de agressão.

O caso revoltou a equipe médica e pessoas que estavam na unidade de saúde no momento do atendimento. A mãe e o padrasto da criança levaram o menino até o hospital.A pediatra Aline Coelho Cordeiro, que atendeu a criança, contou que ele tinha diversas marcas de mordidas, hematomas de espancamento por todo corpo e ferimentos no pênis.

Na ocasião, a família negou que tivesse ocorrido violência contra o bebê." A criança chegou chorando. A mãe, super fria, chegou dizendo que a criança tinha caído do velocípede. Achei muito estranho porque a gente conhece quando a criança cai e, ele estava cheio de mordidas pelo corpo inteiro, perna, tronco, cabeça, bochecha, inclusive na área genital.

O "pintinho" dele estava dilacerado com mordidas", disse a pediatra Aline Coelho Cordeiro.

Fonte: G1