Padrasto é suspeito de enforcar menino com uma corda

Mateus Roberto dos Santos foi encontrado morto depois de ser enforcado

A Polícia Civil em Belo Horizonte (MG) e região metropolitana investiga dois casos de violência contra crianças - o enforcamento de um menino de 12 anos na noite desta segunda-feira em Contagem, no bairro Jardim Alvorada e o espancamento de um bebê de nove meses, em Betim.

Mateus Roberto dos Santos foi encontrado morto depois de ser enforcado por uma corda. De acordo com a PM, o principal suspeito do crime é padrasto do menino, que segundo a própria mãe do garoto relatou no boletim de ocorrência, teria discutido pouco antes do crime com a vítima.

Já o suspeito contou aos policiais que, no momento do incidente, a vítima estava apenas com a irmã em casa porque ele tinha saído por cinco minutos para levar a mulher ao ponto de ônibus. Quando retornou, encontrou o menino enforcado na árvore que fica no quintal.

A perícia da Polícia Civil constatou que o nó presente na corda não tinha características de ter sido feito por uma criança daquela idade. Outra avaliação dos peritos, que indicam a suspeita sobre o segurança, é que o tempo em que os irmãos ficaram sozinhos não seria suficiente para ele pegar a corda, dar o nó, subir na mangueira e se atirar. Até a tarde desta quarta-feira o corpo de Mateus ainda estava no IML. O padrasto prestou depoimento e a polícia aguarda o laudo da perícia para intimá-lo novamente.

Bebê espanacado

Já em Betim, a polícia apura o espancamento de um bebê de nove meses, que foi encontrado pela mãe, 29 anos, com hematomas. Segundo a mãe do menino, ela saiu e deixou a criança com o pai, 19 anos, e quando retornou encontrou o bebê caído no chão e sozinho.

A criança foi encaminhada para o Hospital Regional de Betim e foi constatado traumatismo craniano moderado e algumas escoriações pelo corpo. De acordo com a polícia, o principal suspeito do crime é o pai do garoto, que continua foragido desde ontem.

O último boletim médico do hospital revelou que o quadro do bebê é estável e a tomografia não apresentou nenhuma lesão interna grave. A assessoria do local informou que o nível de consciência da criança está melhorando e que ela já se alimenta normalmente, sem risco de morte.

Fonte: Terra, www.terra.com.br