Padres suspeitos de exploração sexual são indiciados

Se condenados, eles podem cumprir pena de 4 a 10 anos de detenção

Os três padres suspeitos de terem cometido exploração sexual contra adolescentes em Arapiraca (AL) foram indiciados pela Polícia Civil de Maceió nesta terça-feira (27). Um dos religiosos cumpre prisão preventiva em regime domiciliar desde terça-feira (20), em Arapiraca, após prestar depoimento na CPI da Pedofilia. O relatório da investigação ainda indiciou um dos padres pelos crimes de ameaça e importunação ofensiva ao pudor, de acordo com a Lei de Contravenções Penais.

Segundo a delegada Bárbara Arrais, uma das responsáveis pelo inquérito policial, o crime mais grave cometido pelos padres foi o de exploração sexual. "Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, a pena para o crime pode variar de 4 a 10 anos. Esse, sem dúvida alguma, é a mais grave de todas as acusações contra eles que coletamos no inquérito."

Padre é preso por suspeita de pedofilia em ALPolícia investiga suspeita de abuso sexual cometido por religiosos em AlagoasDelegada vai ouvir depoimento de padres suspeitos de abuso sexual

Padre cumpre prisão domiciliar em Alagoas

Um dos envolvidos fez acordo com a Justiça e aceitou a proposta de delação premiada. De acordo com a delegada, o depoimento prestado por esse religioso foi importante para ajudar a investigação do caso. Agora, de acordo com Bárbara, o relatório será analisado pelo Ministério Público Estadual. "Os promotores podem decidir pela realização de novas diligências ou oferecer denúncia contra os indiciados", disse a delegada

Fonte: g1, www.g1.com.br