Pai busca filho caçula após esposa ser suspeita de matar filho mais velho com sorvete

A decisão foi tomada na sexta-feira (24), pela juíza Ana Paula Feitosa de Oliveira, titular da 16ª Vara da Família de Fortaleza.

 O subtenente do Exército Francileudo Bezerrra deverá ir ao Recife, junto com o advogado Walmir Medeiros, para buscar o filho de 7 anos, nesta segunda-feira (27). Ele ganhou a guarda da criança depois que a mãe, Cristiane Coelho, perdeu a guarda da criança ao ser apontada como suspeita pela morte do filho mais velho do casal, Lewdo Bezerra, de 9 anos. A decisão foi tomada na sexta-feira (24), pela juíza Ana Paula Feitosa de Oliveira, titular da 16ª Vara da Família de  Fortaleza.Image title

“As passagens estão marcadas para a noite desta segunda-feira, mas ainda preciso ver alguns detalhes. A juíza daqui deverá entrar em contato com o  juiz de Recife para definir como será feito o 'resgate' da criança. Como ele é autista, o oficial de Justiça não pode ir sozinho, ele vai cumprir o mandato, mas a criança deve ser  entregue ao pai”, explica o advogado.

Crime

Na madrugada de 11 de novembro de 2014, o subtenente do Exército Francileudo Bezerra e seu filho Lewdo Bezerra ingeriram veneno para rato conhecido como "chumbinho". O pai ficou em coma por uma semana e se recuperou. O militar chegou a ser apontado como suspeito de homicídio, porque no primeiro depoimento a mulher, Cristiane, contou à polícia que ele tinha matado o filho com tranquilizantes e tentado se matar, além de agredi-la.

De acordo com o delegado Wilder Brito Coelho, do 16º Distrito Policial e presidente do inquérito, o crime começou a ser planejado em junho de 2014. "A Cristiane, que dizia ter sido espancada pelo marido, matou o filho envenenado fazendo uso de sorvete de morango. Não há mais dúvida", afirmou o delegado, após a conclusão do inquérito.

Prisão preventiva

O inquérito sobre a morte do menino Lewdo Bezerra  deverá ser encaminhado ao Ministério Público do Ceará (MP-CE), na manhã desta segunda-feira (27). “Estou indiciando a Cristiane por tentativa de homicídio e homicídio triplamente qualificado. A pena é de mais de 30 anos se ela for condenada”, diz o delegado. No inquérito, o delegado pede também que seja decretada a prisão preventiva itinerante de Renata Coelho e desindicia (tira da condição de suspeito) o pai do garoto, Francileudo Bezerra.

O inquérito será analisado pelo promotor de Justiça Humberto Ibiapina, que deverá apresentar, ou não, denúncia crime contra Cristiane Coelho. Os pedidos vão ser analisados pela juíza Cristiane Magalhães Cabral, da 1ª Vara do Júri.

Image title


Fonte: G1