Pai de bebê morto a pauladas por babá será investigado pela Civil

Pai de bebê morto a pauladas por babá será investigado pela Civil

Mulher confessou e está presa preventivamente; há indícios de que pai sabia das agressões.

A Polícia Civil vai investigar o pai do bebê morto a pauladas pela babá em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Segundo a delegada que conduz o caso, Verônica Zimmerer da Silva, há evidências de que o homem sabia das agressões contra a menina de um ano e sete meses e, mesmo assim, continuou pagando a namorada para cuidar dela.

Após a confissão e prisão de Jeane Fernandes Mota, de 20 anos, as investigações vão se concentrar no pai, a fim de descobrir se ele realmente deixou de reprimir as ações da babá. A criança foi deixada na casa da mulher na véspera do homicídio para que o homem pudesse ir a uma festa de Réveillon. Ele só voltou ao imóvel no outro dia, na última terça-feira (1º), ao ser avisado da morte da filha.

A Justiça concedeu o pedido de prisão preventiva da suspeita, que deve permanecer detida no presídio do município por pelo menos mais um mês. A Polícia Civil tem dez dias para concluir o inquérito. Uma possível autuação do pai da criança não foi descartada pela delegada.

Morta por fazer pirraça

Jeane Fernandes Mota era namorada do pai do bebê e, há três meses, começou a ser paga para tomar conta da criança. Na noite da virada do ano, o casal foi a uma festa, e a menina ficou dormindo na casa da mulher, que voltou para o imóvel na manhã do dia 1º.

A babá contou à polícia que a garota acordou por volta das 9h e fez "pirraça" para comer, cuspindo todo o mingau. Irritada, a jovem bateu na criança "usando as mãos, um chinelo e um pedaço de madeira do armário da cozinha", segundo a delegada. A agressão com a madeira teria sido na altura do abdome, conforme a versão da mulher.

Fonte: R7, www.r7.com