Pai de bebê morto diz que tentou proteger o filho em assalto

Mancando e com curativos no rosto, o pai também levou dois tiros durante assalto

Pai do bebê de 1 ano que foi baleado e morreu em Osasco, o garçom James Ferreira da Silva afirmou nesta sexta-feira (2), no enterro da criança, que a única coisa que fez foi "tentar proteger o filho e sair correndo".

"Esse rapaz me abordou, quis me assaltar. Eu não tinha dinheiro. Falei que se ele quisesse esperar, eu ia em casa e pegava. Só que ele veio na maldade já para me pegar", disse.

"A partir do momento em que eu tomei o tiro na nuca, ele parou de chorar", completou.

O enterro ocorreu no final da tarde em Osasco. Mancando e com curativos no rosto, o pai, que também levou dois tiros, havia acabado de receber alta temporária do hospital.

Ele deverá voltar ao local nos próximos dias para a realização de exames psicológicos e médicos.

A criança ficou internada desde o dia do crime, quarta-feira (30), até esta sexta, no Hospital Regional de Osasco, quando teve a morte confirmada. O corpo foi liberado às 15h pelo IML.

Ela estava no colo do pai quando foi baleada. Os dois voltavam para casa depois de ir à igreja. O rapaz de 25 anos foi socorrido e levado para o Hospital Antônio Giglio.

O menino foi atingido acima do olho esquerdo. A bala ficou alojada na sua cabeça. Durante a internação, a criança ficou em coma induzido na Unidade de Terapia Intensiva do hospital.

O caso é investigado no 8º DP de Osasco. Segundo a polícia, no momento do assalto o pai do menino disse que não tinha dinheiro, tentou fugir e o criminoso atirou várias vezes. São investigadas as hipóteses de latrocínio e tentativa de homicídio, já que uma testemunha disse que o homem devia dinheiro a traficantes.

Fonte: g1, www.g1.com.br