Pai do menino Bernardo deve pedir separação de madrasta nesta semana

Ele ainda disse a seu advogado que deseja abrir mão dos bens do filho em favor da avó materna.

Suspeito de participação na morte do filho, o médico Leandro Boldrini pedirá separação da enfermeira Graciele Ugulini nesta semana. Esse foi um dos pedidos do pai de Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos. No domingo, ele ainda disse a seu advogado que deseja abrir mão dos bens do filho em favor da avó materna. As informações são do jornal Zero Hora.

O advogado Jader Marques esteve com Boldrini na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e deve ingressar com ação de dissolução da união estável contra Graciele, também presa pelo crime. Segundo ele, o médico quer que Graciele fique sem direito a qualquer valor na separação, já que confessou ter matado Bernardo.



O caso

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos (RS), depois de ? segundo a versão da família - dizer ao pai que passaria o fim de semana na casa de um amigo. O corpo do garoto foi encontrado no dia 14 de abril, em Frederico Westphalen (RS), dentro de um saco plástico e enterrado às margens do rio Mico.

Na mesma noite, o pai, o médico Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini, e a assistente social Edelvânia Wirganovicz foram presos pela suspeita de envolvimento no crime. Segundo a Polícia Civil, o menino foi dopado antes de ser morto, possivelmente com uma injeção letal. Os três se encontram temporariamente presos.

Fonte: Terra