Pai e madrasta são suspeitos de agredir menino até a morte

A suspeita sobre o crime do casal surgiu quando ela ligou para uma vizinha e disse que o menino estava desacordado



O pai e a madrasta de Weslei Fernandes de Araújo, de 2 anos, são suspeitos de torturar a criança até a morte na madrugada de terça-feira (17).

A suspeita sobre o crime do casal surgiu quando ela ligou para uma vizinha e disse que o menino estava desacordado, pois teria caído da cama na casa da família, na rua Aurora, na comunidade Rio das Pedras, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio.

Vizinhos foram até a casa e ajudaram a levar Weslei para o Hospital Cardoso Fontes, no mesmo bairro.

A médica de plantão questionou a versão dos pais porque a criança chegou à unidade com traumatismo craniano, vários dentes quebrados, lesões internas por todo corpo e fratura na perna. O menino chegou a ficar em coma na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), mas não resistiu. A médica chamou a polícia.

Os dois foram presos em flagrante e vão responder por tortura com resultado de morte e a pena pode chegar a 21 anos de prisão para cada um.

De acordo com a polícia, a madrasta do menino jogou a culpa no marido durante depoimento na Delegacia de Jacarepaguá (32ª DP). Ela disse que ele é usuário de drogas. Já o homem teria dito que só batia no filho para o ?corrigir?.

O delegado que investiga o caso ouviu nove testemunhas e diz não ter dúvidas de que os dois são os autores do crime.

A criança estava havia seis meses com o pai. Antes ela morava em Vitória, no Espírito Santo.

Fonte: r7