Pai é preso após matar bebê de dois meses com socos na cabeça

Ele confessou que bateu porque a menina não parava de chorar.

Um homem identificado como Giovanne Lucas da Silva, de 27 anos, foi preso no momento em que estava no velório da própria filha de dois meses, acusado de ter matado o bebê com três socos na cabeça no bairro de Vista Alegre, em Barra Mansa, no Sul do Rio de Janeiro.

O acusado estava no Cemitério Municipal no momento da prisão. As investigações da polícia em cima do pintor se deram após a enfermeira que atendeu o bebê desconfiar de maus tratos. Ao ser detido, o criminoso deu seis versões diferentes sobre o caso para a polícia.

“Primeiro ele disse que a menina machucou a cabeça na porta do carro, depois disse que machucou no portão, depois disse que caiu do seu colo por um descuido. E assim foi indo, em hora em hora ele mudava a versão. Depois de muito questionamento ele acabou confessando”, declarou o delegado do caso.

Acusado afirmou que bateu porque ela não parava de chorar (Crédito: Reprodução)
Acusado afirmou que bateu porque ela não parava de chorar (Crédito: Reprodução)


Segundo ele, Giovanne estava sozinho com a menina em casa após a mãe do bebê sair para a igreja. Após a criança começar a chorar ele deu três socos fortes na cabeça da menina. Em seguida, o acusado chamou o avô e levou a criança para uma Unidade de Pronto Atendimento dizendo que ela estava passando mal.

Mesmo sendo atendida, a bebê não resistiu e morreu por traumatismo craniano. A enfermeira que atendeu a vítima pediu atenção da necropsia alegando que ela estava com indícios de maus tratos. O pai foi indiciado por homicídio doloso.

Fonte: Com informações do Extra