Pai encontra em Portugal suspeito de estuprar sua filha há 7 anos

O empresário disse que investiu "tudo o que estava ao alcance" para conseguir identificar, localizar e fazer com que a Interpol prendesse o acusado

Um empresário de 57 anos de Birigui (525 km de São Paulo) investigou por sete anos e conseguiu a prisão do suspeito de estuprar sua filha, de 17 anos, em 2005. Alexandre Oliveira, 34 anos, foi preso no último dia 18 de outubro pela Interpol (Polícia Internacional) em Lisboa (Portugal) e aguarda extradição para o Brasil. A prisão foi confirmada pela Justiça de Birigui, de onde partiu o mandado.

O caso chegou a ser arquivado pela polícia por falta de provas, mas o empresário conseguiu a reabertura do processo. Ele fez campanhas em redes sociais divulgando a foto do acusado e chegou a pagar um informante em Lisboa. O empresário disse que investiu "tudo o que estava ao alcance" para conseguir identificar, localizar e fazer com que a Interpol prendesse o acusado.

O crime

O crime aconteceu em junho de 2005. A filha do empresário estava com o namorado em um carro na avenida 9 de Julho, uma das principais de Birigui, quando foi rendida por dois homens armados.

A jovem entregou a carteira com documentos pessoais e dinheiro. Mesmo com os pertences, os ladrões obrigaram o casal a seguir para uma rua próxima, sem movimento, onde a adolescente foi estuprada, e o namorado, sob ameaça, obrigado a assistir às cenas.

Na época, a polícia deteve vários suspeitos, entre eles Oliveira. Como a violência tinha acontecido à noite, a adolescente chegou a reconhecer o acusado pela voz, mas o fato não foi o suficiente para a prisão, segundo o advogado do empresário, Sebastião Rodrigues dos Santos. A polícia não fez a comparação do material de DNA colhido no exame de corpo de delito com os dos acusados, e o caso foi arquivado em 2007.

Inconformado com o arquivamento, o pai passou a investigar por conta própria e conseguiu descobrir que Oliveira tinha se mudado para Portugal, mas deixado um filho em Birigui. A criança foi localizada, e, com a possibilidade de novas provas, o advogado pediu a retomada das investigações.

A mãe da criança autorizou o filho do acusado a ceder material para o exame de DNA, quando se comprovou que o esperma deixado na jovem era de Oliveira. Com o resultado, em 2010, a Justiça expediu mandado de prisão preventiva, com validade até 2042.

Fuga

Avisado sobre o mandado, Oliveira mudava constantemente de casa em Lisboa, o que dificultou sua captura. Foi quando o empresário de Birigui contratou um informante para monitorar os passos do acusado. Por meio desse informante, a família descobriu onde Oliveira trabalhava, que está casado e que tem outro filho naquele país.

O advogado do empresário comunicou as descobertas ao Ministério Público e à Justiça de Birigui, que acionaram a Interpol em Brasília. Oliveira foi preso pouco tempo depois, no endereço do trabalho.

Segundo a Polícia Civil de Birigui, Oliveira pode ter feito outras vítimas na cidade. Há outros crimes semelhantes, na mesma época, e que não foram esclarecidos. Essas vítimas serão chamadas à delegacia para reconhecimento.

No Brasil, o acusado responderá pelos crimes de roubo e estupro. Ainda não há informação se o suspeito constituiu defesa em Portugal ou no Brasil.

Traumas e Justiça

O empresário diz que agora só espera justiça. "Levantar as provas e investir dinheiro foi fácil. Difícil mesmo foi o que esse cara fez com minha família. Minha filha perdeu dois anos de faculdade, fez tratamento com remédios controlados e até minha mulher ficou doente. Agora só espero que esse sujeito pague pelo que fez."

Fonte: UOL