Pai se desespera ao ver fotos da filha sendo abusada por professora

"Misericórdia", disse ele ao colocar as mãos na cabeça.

Na última quarta-feira (27), policiais da delegacia da Criança e do Adolescente realizaram a prisão de dois acusados de participarem de uma rede de pedofilia. Tatiana Mara Araujo, de 39 anos, professora de uma creche na Baixada Fluminense, enviava fotos das partes íntimas de crianças matriculadas no estabelecimento para o advogado Roberto Malvar Paz, de 63.

Neste sábado (30), o pai de uma das garotas que foi abusada pela professora esteve na delegacia de proteção à criança e se desesperou ao ver a filha entre os arquivos de fotos da acusada. Investigadores mostraram a ele fotos de 2004 onde a menina era abusada pela professora, ao ver a cena, ele colocou as mãos na cabeça e disse: “Misericórdia”.

A polícia confirmou que uma terceira criança que, segundo os investigadores, foram vítimas do advogado e da professora. Na casa do advogado, a polícia encontrou centenas de fotografias e videos de crianças.
Até agora, a polícia acreditava que os abusos tinham começado em 2007.

A professora contou à polícia que conhecia o advogado há 14 anos.  Disse que, na época, ela trabalhava como prostituta. O advogado era seu cliente e teria contado a ela sobre abusos contra outras crianças.

Em depoimento, a suspeita admitiu que abusou de pelo menos uma criança. O advogado e a professora podem ser condenados a 15 anos de prisão por cada abuso.

Advogado preso (Crédito: Reprodução)
Advogado preso (Crédito: Reprodução)
Professora de creche acusada de pedofilia (Crédito: Reprodução)
Professora de creche acusada de pedofilia (Crédito: Reprodução)
Pai se desespera ao reconhecer a filha em imagens (Crédito: Reprodução)
Pai se desespera ao reconhecer a filha em imagens (Crédito: Reprodução)
Fonte: Com informações do G1