Pai flagra pedófilo na web em Teresina

O pai conta que já estava desconfiado de alguns recados que o agressor deixava na página de recados

Uma simples desconfiança fez um pai flagrar um homem de 40 anos tentando aliciar a sua filha de 12. Através da internet, utilizando uma web cam, o pedófilo se masturbou e escreveu palavras com conotação sexual, como ?fazer amor", ?gozar? e ?gemer? pensando que do outro lado do computador estava a menor J. Mas, na verdade, quem estava no computador era o pai da vítima. O caso serve de alerta para os pais que deixam os filhos à vontade na frente do computador.

O pai conta que já estava desconfiado de alguns recados que o agressor deixava na página de recados de uma site de relacionamento da filha. Por esse motivo decidiu entrar com a senha da garota no site de bate papo e apaga-lo dos contatos, mas antes disso ele iniciou uma conversa achando que era J. Que estava on line. De acordo com o pai, o agressor já iniciou a conversa com assuntos impróprios para uma garota de 12 anos.

O pai filmou toda a conversa e denunciou o caso no Programa Olé.com, da TV Meio Norte. O programa abordou o caso na tarde de ontem com a promotora da Infância e da Adolescência, Vera Lúcia Santos. A promotora vai assistir ao vídeo e disse que vai tomar as medidas cabíveis.

No vídeo é possível ver o teor da conversa e imagens onde o agressor mostra o órgão genital.

Como acontece na maioria dos casos de pedofília, o agressor é uma pessoa próxima da família- irmão da madrinha da criança. O pai acredita que o assédio já acontecia há algum tempo, já que pelo teor das conversas o agressor parecia "íntimo? da garota. ?Ele já vinha mandando recados pela internet e alguns deles não era adequado para um adulto estar mandado para uma criança. Por esse motivo desconfiei e resolvi agir. Quando me passei pela minha filha no bate-papo eu queria saber até onde ele iria e vi que ele é um verdadeiro tarado?, diz o pai.

Saiba mais sobre pedofilia na internet

Cerca de mil novos sites de pedofilia são criados todos os meses no Brasil. Destes, 52% tratam de crimes contra crianças de 9 a 13 anos, e 12% dos sites de pedofilia expõem crimes contra bebês de zero a três meses de idade, com fotografias.

Pesquisas apontam a existência de 6,2 mil sites comerciais de pedófilos em todo o mundo. Neles é possível comprar imagens com o uso de cartão de crédito. Estima-se que sete milhões de crianças em todo o mundo são vítimas desse processo. Os dados são do site ?Censura?, criado com o propósito de coibir a ação de pedófilos na rede.

Fonte: Carolina Durães, Jornal Meio Norte