Pajeú do Piauí: "Embriagaram a menor", diz promotor do caso

Caso está sendo acompanhado pelo Ministério Público.

Em maio do ano passado, a população de Castelo do Piauí ficou chocada com um estupro coletivo praticado contra quatro adolescentes, onde uma acabou falecendo em função de tanta violência. Os acusados foram quatro menores, e um maior de idade, Adão José de Sousa, 40 anos. Os jovens deliquentes foram apreendidos, julgados e pagam medidas socioeducativas. Já Adão continua preso na espera pelo julgamento, e pode pegar uma pena de 20 a 30 anos de prisão.

Eles praticaram estupro, homicídio, tentativa de homicídio e lesões corporais. Um dos menores acusados, Gleison Vieira da Silva, 17 anos, acabou sendo executado pelos próprios colegas, dentro da cela do Centro Educacional Masculino (CEM) em Teresina.

No dia 19 de maio deste ano, mais um caso chamou atenção e aconteceu em Bom Jesus do Piauí, contra uma jovem de 17 anos. De acordo com informações da polícia, a vítima teria ingerido bebida alcoólica e em seguida violentada. Os acusados são cinco pessoas, sendo quatro menores e um maior de idade.

Na terça-feira, dia 07 de junho, mais um caso semelhante ao de Bom Jesus. Uma garota de 14 anos foi vítima de um estupro coletivo na cidade de Pajeú do Piauí (460 km de Teresina), praticado por um adulto e quatro adolescentes, na noite de terça-feira, em um ginásio poliesportivo da cidade. A garota foi encontrada desacordada no banheiro feminino do ginásio.

De acordo com o delegado regional do município de Canto do Buriti, Yan Drayner, que também é responsável pela cidade de Pajeú, a adolescente foi encontrada pela avó, e não pela mãe, como haviam noticiado. “A avó que cria a jovem foi a responsável por encontrar ela e logo que pediu ajuda, uma equipe da Polícia Militar foi até o local do crime e presenciou também alguns fatos. Os elementos de investigação apontam que o crime está elucidado. Esse episódio não é comum por aqui, porque geralmente é tranquilo. O fato chochou bastante, não só a população local, mas do estado em até n[nível nacional”, afirmou.

A menor foi atendida pelo Conselho Tutelar que a encaminhou para a Maternidade Evangelina Rosa, em Teresina, onde foram realizados exames que constataram o estupro. O caso está sendo investigado pela delegada Anamelka Cadena, titular do Núcleo de Feminicídio da Polícia Civil do Piauí. Ela não foi encontrada para falar com a reportagem, já que se encontra em diligências na cidade de Pajeú.

O promotor do caso, Márcio Carcará, explicou qual o posicionamento do Ministério Público relacionado ao caso. De acordo com o promotor, os menores confessaram que todos estavam ingerindo bebida alcoólica. 

“O Ministério Público tomou conhecimento do caso ontem pela manhã, quando os adolescentes já haviam sido apreendidos e o adulto já havia sido preso. Na parte da tarde, enquanto aguardávamos o resultado do laudo, iniciamos a apresentação dos menores. Eles confessam que estiveram com a menina lá no Ginásio, confessam que todos estavam bebendo e alguns indicam que houve relação sexual, só que utilizam outros argumentos para afastar responsabilidade. A versão dada pela vítima é coerente e colabora com o que temos no laudo. A responsável pela adolescente a encontrou desacordada debaixo do chuveiro lá no Ginásio”, afirmou.

Segundo o promotor, foi comprovado o estupro de vulnerável. “O Código Penal Brasileiro  considera o estupro de vulnerável quando a pessoa não tem discernimento ou por qualquer outro meio que faça com que sua capacidade de discernimento seja reduzida. A adolescente tem mais de 14 anos e ingeriu bebida alcoólica e nós ainda não sabemos se havia outra substância dentro. O fato é que embriagaram a menor”, acrescentou.

Fonte: Especial para o Meionorte.com