Para delegado,Mizael mentiu em depoimento

Para delegado,Mizael mentiu em depoimento

Ex de Mércia prestou novo depoimento na manhã desta terça-feira

O advogado Samir Haddad Júnior, que defende o policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza, principal suspeito pela morte da advogada Mércia Nakashima, acredita que seu cliente não irá a julgamento por falta de provas. Ainda assim, Mizael estaria preocupado após prestar um novo depoimento na manhã desta terça-feira (20), em São Paulo, à Polícia Civil.

?Se houver denúncia, eu irei recorrer. Tenho a convicção de que não haverá nem julgamento por falta de prova?, disse Haddad ao deixar o prédio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Mizael chegou para depor por volta das 11h desta terça, quando foi chamado de assassino por populares. Ao ouvir a provocação, ele sorriu.

Após o depoimento, Olim disse que Mizael mentiu e que, após concluir o inquérito sobre a morte de Mércia, irá pedir a prisão do policial aposentado.

Segundo Haddad, o depoimento de 30 minutos foi tenso. Em alguns momentos teria havido bate-boca entre Mizael e o delegado Antônio de Olim, que investiga o caso. Mizael estava acompanhado de dois advogados. Ele foi ouvido por Olim, pelo perito Renato Pattoli, pelo promotor Rodrigo Merli Antunes e por investigadores do DHPP.

Mizael, de acordo com Haddad, teria respondido a todas as perguntas. Ele negou que tenha matado a ex-namorada e manteve a versão de que no dia do crime permaneceu por duas horas com uma mulher não identificada. Mizael voltou a dizer que o rastreador de seu carro estaria com defeito e solicitou a perícia do equipamento. De acordo com a polícia, o rastreador aponta que Mizael estava próximo à casa dos avós de Mércia Nakashima, em Guarulhos, onde ela foi vista pela última vez. O mesmo equipamento aponta que Mizael teria ido à represa onde o corpo e o carro de Mércia foram encontrados dias antes da morte da advogada.

Haddad não soube informar se Mizael foi oficialmente indiciado pela morte de Mércia. O delegado Antônio de Olim chegou a dizer que durante o depoimento desta terça-feira iria indiciar Mizael formamente pela morte da ex-namorada. ?Não tenho essa informação, nem perguntei se ele foi indiciado?, disse Haddad.

Mizael deixou o prédio do DHPP pouco depois das 13h. Ele precisou de proteção policial para deixar o local e saiu sem falar com a imprensa.

Fonte: g1, www.g1.com.br