Passageiros do metrô detêm homem acusado de abusar de mulher em trem

- O metrô estava lotado, por isso quando ele se aproximou nem desconfiei de nada.

A auxiliar de serviço gerais Michelle de Souza, de 27 anos, passou por maus momentos na manhã desta quarta-feira num trem da Linha 2 do metrô, que seguia para a Zona Sul do Rio. Um homem aproximou-se dela, abriu a calça e começou a se masturbar. Assustada, a mulher, que estava no penúltimo vagão, gritou por socorro e foi acudida por outros passageiros, que detiveram o suspeito. Na Estação de Triagem, na Zona Norte, o homem - que chegou a ser agredido - foi levado até seguranças do MetrôRio, que chamaram a Polícia Militar. A vítima, as testemunhas e o acusado foram encaminhados para a 25ª DP (Engenho Novo).

- O metrô estava lotado, por isso quando ele se aproximou nem desconfiei de nada. Ele ainda falou: ?Tá cheio, né??. Só fui perceber o que estava acontecendo quando vi a calça dele aberta e o pênis para fora. Comecei a gritar: ?Tarado! Tarado!?. Logo outras pessoas vieram. O tarado nojento ainda tentou tapar o membro com a bolsa, mas não conseguiu - contou Michelle.

Ela disse que ia de Cascadura, na Zona Norte, onde mora, para o trabalho, no Largo do Machado, Zona Sul. Michelle contou que anda de metrô há dois anos e seis meses, por ser o meio mais rápido de chegar ao emprego, mas não sabe como fará de agora em diante.

- Não posso chegar atrasada. Mas também não quero passar por isso nunca mais. Tô arrasada. Quando via mulheres reclamando dessas situações na TV achava que era exagero. Agora vejo que não. É horrível - disse a auxiliar de serviços gerais, que tem três filhos, um de oito anos e gêmeas de 1.

Na delegacia, Michelle cumprimentou um de seus "heróis", Márcio Mello:

- Agradeço demais a ele e aos outros que me ajudaram. Obrigada.

O detido foi identificado como Juvelino Francisco da Silva, de 51 anos. Segundo os policiais, ele responderá por oportunação ofensiva ao pudor. A pena é de dois meses de detenção e deve ser revertida em pagamento de cestas básicas. O acusado responderá em liberdade.

Segundo a assessoria do MetrôRio, a confusão não causou problema na circulação dos trens.

Fonte: Extra