Pastor e esposa acusados de abusar de adolescentes se entregam à polícia

Mandado de prisão preventiva foi expedido no dia 9 de janeiro. Denúncias foram realizadas em novembro de 2012 pelos pais das vítimas

Um pastor de uma igreja evangélica, de 30 anos, e a esposa dele, de 26, suspeitos de abusar sexualmente de crianças e adolescentes, se apresentaram nesta quarta-feira (16) à Delegacia de Capturas, no bairro de Tejipió. Desde o dia 9 de janeiro havia um mandado de prisão preventiva contra os acusados, que foram indiciados por estupro de vulnerável. As vítimas têm idades entre 12 e 17 anos.

Após prestarem depoimento, o pastor será levado para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, e a mulher para a Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, no Engenho do Meio, de onde vão responder ao processo criminal.

"Desde o dia 9, quando o mandado de prisão foi expedido, a polícia estava realizando buscas, monitorando a casa de parentes. Ontem [terça, 15], o advogado dos acusados entrou em contato com a polícia e falou a respeito da intenção deles de se apresentarem", detalhou o delegado Geraldo Costa, da Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA). De acordo com o delegado, se condenados, a pena pode ultrapassar 15 anos de prisão, por se tratar de mais de uma vítima.

Caso

As denúncias foram realizadas pelos pais das crianças abusadas no mês de novembro, na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), no Recife. De acordo com o delegado Geraldo Costa, o pastor era muito respeitado na comunidade onde vivia e onde teriam ocorrido os crimes, no bairro da Várzea Fria, na cidade de São Lourenço da Mata, Região Metropolitana do Recife.

Os boatos sobre o crime começaram porque uma das crianças abusadas contou aos pais, até que um total seis denúncias chegaram à delegacia durante as investigações. De acordo com a polícia, das seis crianças, quatro são meninas e dois meninos.

O suspeito é pastor da Assembleia de Deus Ministério e Missões, igreja fundada por ele mesmo na cidade há cerca de dois anos. Segundo o delegado, o pastor teve um desentendimento na Assembleia de Deus e fundou a própria congregação. Todas as famílias das crianças eram fiéis frequentadores da igreja do pastor.

Fonte: G1