Pastor que encenava exorcismo tinha ovelhas no tráfico de drogas

Pastor que encenava exorcismo tinha ovelhas no tráfico de drogas

Investigação põe fim ao teatro que abria para ele as portas de presídios e favelas

Ele voa até o fundo do salão com a peça de roupa, que diz ser abençoada, sobre as dezenas de cabeças à sua frente. Como um dominó, todos caem. As imagens de uma teatralidade pouco crível ganharam a internet. Marcos virou o ?Pastor Sonic?. A comparação com o herói de videogame dos anos 90 está mais para zombaria do que para fé em seus superpoderes. Mesmo evangélicos acreditavam que os excessos do pastor Marcos eram o prenúncio do apocalipse de um líder espiritual cada vez mais vaidoso e isolado.

Antes de angariar o respeito de políticos a chefões do tráfico ? muitos deles se ajoelharam a seus pés ? e de transformar os cultos da Assembleia de Deus dos Últimos Dias num circo místico, ao abater um endemoniado a ?tiros?, um gesto que simula prosaicamente com os dedos, o pastor Marcos lutou contra os seus próprios demônios. Quando jovem, vivia em noitadas e prostíbulos. O passado nada cristão era usado como atestado da conversão radical. Nos anos 80, um amigo o levou a um culto do pastor Silas Malafaia, no Centro. A história foi contada pelo próprio pastor a Silas, há poucos anos ? ?cheguei a dizer a ele que aquele negócio de mulher com roupa comprida, mangão, não estava na Bíblia, era radicalismo dele?. Silas defende que o pastor Marcos pague pelos crimes, ?se? os cometeu:

? Se ele estuprou mulheres, pau nele. Mas desconhecer o trabalho que ele fez com presidiários é molecagem. Esse cara, por muito tempo, colocou a mão onde ninguém queria colocar: no esgoto.

Apesar de ter o seu reduto em São João de Meriti, na Baixada, o pastor Marcos ficou conhecido em todo o país por ter negociado o fim de mais de 30 rebeliões. Em 2004, o então secretário de Segurança, Anthony Garotinho, o chamou para agir num motim em Benfica. Trinta pessoas foram executadas. Apesar das mortes, ele saiu com a reputação de ter evitado um banho de sangue ainda maior. A única voz dissonante era a da então deputada Denise Frossard que, num duro relatório, afirmou que, antes de ele chegar, a polícia já tinha conseguido a rendição dos amotinados. No mesmo ano, vazou um vídeo em que o traficante Derico de Acari era visto ao lado do pastor em um culto. Outros dois traficantes foram encontrados na fazenda da igreja, em Tinguá. O pastor foi proibido de entrar em presídios. Até então, ele frequentava quase todas as cadeias do estado, onde chegava em carros de luxo, sempre de terno e relógio Rolex, para sessões de exorcismo de presos. A amizade com José Júnior, que o havia aproximado de um público formador de opinião, acabou no ano passado, quando o líder do AfroReggae o acusou de ser a maior mente criminosa do Rio e estar por trás de ataques do tráfico em 2006 e 2010.

Família de oito irmãos, casado há 31 anos com Ana Madureira ? que também o teria denunciado por estupro e voltado atrás ? e pai de dois filhos, o pastor Marcos, que já frequentou centros de umbanda, tornou-se um missionário tão convincente que fez o francês Henri Bueno lhe doar um imóvel na Av. Atlântica, onde aconteceriam orgias. Henri, que tem uma fábrica em Bonsucesso, conta que fez a doação porque foi curado de uma asma. Ao ser perguntado se também foi submetido a exorcismos tão intensos que atiram fiéis ao chão, Henri, que deve depor novamente, apenas respondeu:

? Não caio fácil. Sou francês.

Fonte: OGlobo