Pedreiro de 34 anos é preso por furtar calcinhas e desfilar na residência das vítimas

Pedreiro de 34 anos é preso por furtar calcinhas e desfilar na residência das vítimas

O mistério em torno da identidade do criminoso terminou na segunda-feira (3).

Um pedreiro de 34 anos foi preso em Conceição da Feira sob suspeita de ser o autor de uma série de furtos a calcinhas em residências no município que fica a cerca de 120 km de Salvador. O delegado titular da cidade afirma que os casos começaram a ocorrer há cerca de três anos, período em que a polícia local mantinha investigações para tentar localizá-lo.

O mistério em torno da identidade do criminoso terminou na segunda-feira (3). No dia anterior, segundo a polícia, ele invadiu uma casa e furtou calcinhas que estavam penduradas em um varal. O homem também vestia as peças íntimas.

"Ele achou que não tinha ninguém na casa e entrou. Lá dentro, ele se deparou com uma moradora, que gritou muito e entrou em luta corporal com ele", relata o delegado Gustavo Coutinho.

O suspeito foi atingido na cabeça por uma garrafada desferida por um sobrinho da vítima, que ouviu os gritos de socorro. Mesmo ferido, o homem conseguiu escapar pilotando uma motocicleta preta. Na fuga, deixou cair o celular e algumas calcinhas. O aparelho foi a pista que a polícia precisava para encontrá-lo e efetuar a prisão, diz o delegado.

"Ele disse que fazia isso quando bebia. Ele entrava nas casas, vestia as calcinhas e ficava andando pelas residências", conta o investigador.

Segundo o Coutinho, a mulher de 46 anos que teve a residência invadida no domingo (2) disse à polícia que o homem tentou estuprá-la. Ela foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para realização de exame de corpo de delito. O pedreiro permanece custodiado nesta quarta-feira (5), em Conceição da Feira. Segundo o delegado, ele é mantido em cela separada dos demais detentos por questão de segurança e deve responder por furto e tentativa de estupro.

Flagrante

Em junho deste ano, o proprietário de uma casa resolveu instalar uma câmera na sala para tentar identificar a pessoa que já havia invadido o local por diversas vezes. As imagens estavam em poder da polícia desde então, mas segundo o delegado, não foram suficientes para identificar o invasor.

"Tínhamos três ou quatro suspeitos, mas não havia confirmação. Esse pedreiro estava acima de qualquer suspeita. É um pedreiro renomado, é casado e tem dois filhos", relata Coutinho. Ainda segundo ele, o homem afirmou ser o autor das demais invasões a residências e furtos de peças íntimas registradas no município.

O homem foi localizado na residência dele. No local, não foram encontradas calcinhas furtadas porque, segundo a polícia, ele jogava as peças fora temendo que fosse descoberto pela esposa.

Fonte: G1