Penetra forja crachá para ver julgamento do caso Isabella

Rapaz gruda adesivo em funcional velha e tenta aparecer de todo modo

Esta é a história de um sujeito que tentou e se deu mal. Aparentemente, tudo que ele queria era acompanhar de perto o desenrolar do caso Nardoni nesta quinta-feira (25) e, além disso, aparecer um pouco. Para isso, ele forjou grosseiramente um crachá de imprensa, grudando a logomarca da empresa de engenharia MRV por cima da funcional das Casas Bahia.

O nome do falso jornalista é Rodolfo Gouveia de Lima, mas o nome que está no crachá é Robson de Souza Silvestre.

Lima foi ao Fórum de Santana (zona norte de São Paulo) usando terno, cabelo raspado e o sujeito na foto do crachá ? datado de 2003 ? tem cabelo. Ele já teria chamado atenção por fazer palhaçadas - abrir a camisa e mostrar o peito e dançar derramando água na própria cabeça - em transmissões ao vivo de emissoras de TV.

Nesta quinta, o penetra até conseguiu passar por uma primeira inspeção, no portão do fórum, mas foi detido quando se dirigia até a sala de imprensa, com a falsificação grosseira pendurada no peito.

Depois disso, virou confusão. O pessoal da segurança ficou revoltado porque deixou o sujeito passar. Os jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas também se irritaram, afinal, o falsário atrapalhava o trabalho deles.

Mais feia ainda foi a reação dos manifestantes do lado de fora do fórum. Todos eles, que fizeram seus protestos pessoais, clamando por justiça sob sol e sob chuva, ficaram ainda mais irritados.

Pior para o falso jornalista que teve seu falso crachá confiscado e foi colocado para fora do fórum, direto para os braços da multidão.

Alegando ter sido agredido pelos manifestantes e registrou queixa no 40º Distrito Policial, na Vila Santa Maria, zona norte de São Paulo.

Fonte: R7, www.r7.com