PF apreende carro importado do cantor Latino; R$ 340 mil

PF apreende carro importado do cantor Latino; R$ 340 mil

A operação, denominada “Black Ops” acontece desde sexta-feira (7), em 14 Estados e no Distrito Federal

O cantor Latino teve um de seus carros importados confiscado, um Porsche Panamera no valor de R$ 340 mil, em uma operação conjunta da Receita Federal, Polícia Federal e Ministério Público. A operação, denominada ?Black Ops? acontece desde sexta-feira (7), em 14 Estados e no Distrito Federal, para combater uma quadrilha internacional suspeita de explorar máquinas caça-níqueis e especializada na importação de veículos de luxo de várias marcas e modelos com pouco uso.

O advogado do cantor, Bruno Pinho Gomes, alega que o artista comprou o veículo, modelo 2010, 0 km, e que o carro foi entregue à Polícia Federal sem intimação no último sábado (8). "Latino repudia qualquer insinuação sobre seu envolvimento ou participação em negócios de importação e comercialização de veículos. Restará comprovado que fora apenas cliente, como tantos outros, que de boa-fé adquiriram veículos em uma loja bem estabelecida em local nobre da cidade do Rio de Janeiro", disse o advogado, por telefone, ao UOL. O advogado diz que Latino irá colaborar com as investigações policias e com a Justiça e que ainda não recebeu nenhuma notificação para entregar à polícia outro veículo importado do cantor, um Cadillac Escalade.

Latino adquiriu os veículos na loja Euro, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, espaço usado, de acordo com as investigações, para a venda de veículos importados usados. A importação de veículos usados não é autorizada, de acordo com a Receita Federal, mas há exceções para veículos antigos, com mais de trinta anos de fabricação, para fins culturais e de coleção e os importados por missões diplomáticas, repartições consulares e representações de organismos internacionais. A prática de importação de bens de importação proibida configura o crime de contrabando, cuja pena de reclusão é de um a quatro anos. Entre 2009 e 2011, a quadrilha pode ter importado 500 carros de luxo.

Além de Latino, também tiveram veículos apreendidos os jogadores de futebol Kléberson, do Atlético-PR, Emerson, o Sheik, do Corinthians, e Diguinho, do Fluminense.

Fonte: UOL