PF flagra dupla em laboratório de crack em Fortaleza

Foram apreendidos aproximadamente 20 quilos de cocaína e crack

Após três meses de investigação agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Federal, fecharam na tarde da última quarta-feira (25), um ?laboratório? de cocaína e crack que funcionava na periferia de Fortaleza. Na operação da PF, realizada em duas casas no bairro Mondubim, dois homens foram presos, aproximadamente 20 quilos de cocaína e crack apreendidos, além de duas pistolas e material usado para manipular e desdobrar a droga ( transformar a cocaína em crack).

Segundo o delegado Glayston Araújo, titular da DRE, Leonardo Pereira Loura, 29; e Rodrigo Moreira Torres, o ?Chico Pezão?, 27, têm passagens pela Polícia. O primeiro é um ?velho? conhecido dos federais, com duas prisões, nos anos de 2002 e 2005 por tráfico de drogas.

O segundo havia saído há oito meses do presídio, onde estava cumprindo pena por latrocínio (roubo seguido de morte). De acordo com Araújo, a dupla e um terceiro comparsa, que conseguiu fugir, estavam sendo vigiados pelos agentes da DRE desde janeiro.

Conforme o delegado, a investigação vai continuar com o objetivo de prender o outro homem que conseguiu fugir e descobrir se, além dele, existem outras pessoas envolvidas.

Araújo afirmou que os dois acusados presos seriam os distribuidores e arrecadadores de dinheiro para a quadrilha de traficantes. ?A droga deve ter sido trazida de algum Estado da região norte do País?, informou o titular da DRE.

Armas

Na residência de Leonardo, na Rua Jiquitibá, os policiais encontraram 13 quilos de cocaína e uma pistola calibre 380 ACP, roubada de uma policial militar?. O delegado disse ainda que, em seguida, eles se dirigiram para a casa de Rodrigo. Lá, descobriram o restante da droga e outra pistola, calibre ponto 40 (de uso exclusivo das forças policiais), com numeração e brasão raspados.

Essa foi a maior apreensão de cocaína do ano realizada pela PF. De janeiro até ontem, cerca de 100 quilos de cocaína e crack foram apreendidos pelos agentes federais.

Fonte: Diário do Nordeste, www.diariodonordeste.com.br