PF investiga fraude de R$ 50 milhões no CE

O objetivo foi o combate ao crime de sonegação fiscal,

Policiais federais e fiscais da Receita Federal, com o apoio do Minist?rio P?blico Estadual, deflagraram, na manh? de ontem, nas cidades de Tiangu?, Itapipoca e Sobral, a ?Opera??o Gelada?. O objetivo foi o combate ao crime de sonega??o fiscal, cujo valor alcan?a cerca de R$ 50 milh?es, em cinco anos, praticada por uma rede de empresas distribuidoras de bebidas, sediadas na Regi?o Norte.

O golpe, segundo as autoridades, teria sido praticado pelas empresas ?Conc?rdia Distribuidora de Bebidas?, ?Mega Max Distribuidora de Bebidas e Alimentos? e ?Zivatile Distribuidora de Bebidas e Alimentos Limitada?, todas de propriedade do empres?rio Jos? Valderi Angelim Arcanjo, principal investigado pela PF.

Documentos

Ao mesmo grupo empresarial s?o imputados tamb?m os crimes de falsidade ideol?gica, uso de documento falso, estelionato e forma??o de quadrilha. Os policiais federais cumpriram sete mandados de busca e apreens?o, expedidos pela 18? Vara da Justi?a Federal, em Sobral, objetivando arrecadar documentos e outros elementos de prova da pr?tica dos delitos.

Os fiscais e agentes federais tamb?m cumpriram mandados de busca e apreens?o em tr?s im?veis de propriedade de Valderi Arcanjo, localizados na Serra da Meruoca, no Munic?pio de Forquilha e na cidade de Sobral. Segundo o delegado da Receita Federal em Sobral, Jos? Maria de Sousa Rosa, que acompanhou a a??o da PF, a fraude atingiu o setor de bebidas alco?licas e refrigerantes.

Participaram da a??o 28 homens da Pol?cia Federal de Fortaleza e 12 servidores da Receita Federal. De posse de v?rios mandados de busca e apreens?o as equipes chegaram aos locais cedo da manh?.

Em uma das empresas, que funciona na Avenida Herm?nio de Moraes, em Sobral, a PF apreendeu v?rios documentos e computadores. De acordo com Sousa, toda a documenta??o apreendida nas tr?s empresas foram encaminhadas ao Posto Avan?ado da PF de Sobral para ser periciado.

A??o Civil

A Receita suspeita que uma das empresas pertencente ao acusado, ap?s ter sido autuada em R$ 12,7 milh?es, simulou a extin??o das suas atividades. ?Na verdade, o que aconteceu foi a transfer?ncia para outra empresa em nome de laranjas.?

Em fevereiro passado o Minist?rio P?blico Estadual (MPE), atrav?s do promotor de Justi?a Carlos Augusto, j? havia ingressado com uma a??o civil p?blica contra Valderi Arcanjo e seu filho e s?cio, Jos? Valderi Angelim Arcanjo J?nior, por crimes de estelionato, fraude processual e apropria??o ind?bita. Na ocasi?o, representante do MP suspeitava de que estaria havendo lavagem de dinheiro. Foi pedida, ent?o, a pris?o do empres?rio, mas ele continua solto.

Toda a documenta??o apreendida ser? encaminhada ? Justi?a Federal depois da per?cia cont?bil. O material poder? servir de prova para que o MP ofere?a a den?ncia contra os envolvidos no caso.

Fonte: Diário do Nordeste