Ex-Timão é preso com objetos de roubo a caixas eletrônicos; saiba

Ex-Timão é preso com objetos de roubo a caixas eletrônicos; saiba

PM encontra no carro do ex-jogador lâminas que são usadas para "pescar" envelopes. Veículo estava em frente a uma agência bancária.

O ex-meia Piá, com passagens por Corinthians, Ponte Preta, Santos e outros clubes, foi detido no início da madrugada desta quinta-feira em Campinas por suspeita de envolvimento em assaltos a caixas eletrônicos. A Polícia Militar encontrou no carro dele objetos usados para "pescar" envelopes. Ele e mais duas mulheres, sendo uma delas sua namorada, foram encaminhados ao 1º Distrito Policial da cidade para prestar depoimentos. Como já tinha antecedentes criminais, por porte de drogas e de arma, Piá deve ser transferido para a penitenciária de Hortolândia. A Polícia Civil não informou, ainda, por quais crimes o ex-atleta e a namorada vão ser indiciados, mas o certo é que ambos ficaram presos. A segunda mulher, porém, foi ouvida e liberada.

A PM suspeitou quando avistou um veículo parado em frente a uma agência bancária na Rua Bento de Arruda Camargo, no Jardim Santana. Na abordagem, Piá tentou contornar a situação ao se apresentar como ex-jogador de futebol e dizer que estava à espera da mulher e de mais uma amiga que tiravam dinheiro dentro do banco.

Ao revistarem o carro, no entanto, os policiais acharam uma bolsa com lâminas de alumínio e outros equipamentos, como chave de fenda, alicate e fitas adesivas, que seriam utilizados para roubar dinheiro. A PM ainda investiga se o trio chegou a instalar as placas em algum caixa eletrônico.

Não é a primeira vez que Piá tem o nome envolvido em um caso policial. A primeira aconteceu em julho de 1999, quando ele, atleta da Ponte Preta na oportunidade, foi indiciado como coautor do assassinato de um mecânico, em uma lanchonete de Limeira. A acusação era que Piá foi o responsável por dar a ordem para um primo pegar o revólver em seu carro e atirar na vítima. No julgamento, ele acabou absolvido.

Aos 40 anos, Piá parou de jogar em 2011, pelo Aparecidense-GO. O último trabalho foi pelo União São João de Araras, ano passado, como auxiliar técnico. O auge da carreira foi entre 1999 e 2003, quando fez parte dos times da Ponte que atingiram as semifinais do Paulistão e também da Copa do Brasil e as quartas do Brasileirão. Além de Macaca, Corinthians e Santos, defendeu, entre outros clubes, Portuguesa, Santa Cruz, Coritiba, Inter de Limeira, Bragantino, São Raimundo, Rio Preto e Independente de Limeira.

Fonte: r7