Piauí está vulnerável assalto a banco, afirma sindicato

O primeiro roubo ocorreu em Bom Jesus, em fevereiro deste ano.

Somente este ano, o Sindicato dos Bancários calcula que 15 agências foram roubadas no Piauí. O primeiro roubo ocorreu em Bom Jesus, em fevereiro deste ano.

A ação criminosa mais recente ocorreu na madrugada de terça-feira (31), quando uma quadrilha fez uso de explosivos para arrombar uma agência bancária na cidade de Capitão de Campos.

Morador da cidade de Capitão de Campos, o artista e empresário, Julyano Ode, reside a 02 quadras de distância da agência bancária que foi assaltada. "O serviço é deficitário. Aqui temos que recorrer a Piripiri, Campo Maior.

Os cedentes Bancários têm uma limitação para todos os serviços de saques, depósitos, a quitação de boletos para uma rota tão estratégica. Uma cidade emancipada desde 10/3/1957, o mínimo que se esperava era uma agência básica de bancos públicos", expõe.

Julyano ressalta que este assalto chocou a população de quase 11.000 habitantes, que teme pelo avanço da violência nas cidades do interior. "O ocorrido ontem chocou a população e nos fez sentir o impacto global da violência.

É um grande impacto que uma cidade pacata tem diante de um ato como este. Somos negligenciados diante de nossa vasta vitrine geográfica. Somos uma cidade cortada por BR, eixo capital litoral", avalia.

O presidente do Sindicato dos Bancários, José Ulisses, julga que a segurança nas agências do Estado é bastante precária. " A segurança é zero. A partir das 18 h não tem um vigilante no banco. Isso é um chama muito grande para o assaltante.

É uma facilidade muito grande para os bandidos", diz. Para Ulisses, o problema não se restringe a esfera privada, mas também ao Estado, que não garante policiamento nas áreas que possuem bancos.

Fonte: Vicente de Paula